Livro acessível
0
Carrinho
15 resultados
Companhia de Bolso

Neste romance, Erico Verissimo narra episódios da vida de duas dezenas de personagens na Porto Alegre da década de 1930 e tece uma crítica incisiva aos desníveis sociais e à hipocrisia moral de nossa sociedade. Com apresentação de Antonio Candido e prefácio de Moacyr Scliar. Leitura obrigatória do vestibular da Unicamp. Leia +
Companhia de Bolso

Numa sexta-feira 13, em 1963, sete pessoas morrem em Antares. Mas os coveiros estão em greve, e os defuntos, insepultos, vagam pela cidade vasculhando a intimidade de parentes e amigos. Em sua condição de fantasmas, podem denunciar à vontade os segredos dos mandantes locais. Leia +
Companhia de Bolso
CLARISSA (2005)

Uma casa de pensão em Porto Alegre é o microcosmo do Brasil e do mundo, na década de 1930. Primeiro romance de Erico Verissimo, Clarissa narra a autodescoberta de uma adolescente de 13 anos cujo olhar é uma das principais vias de acesso a uma realidade fascinante, mas também por vezes estranha e cruel. Leia +
Companhia de Bolso

O autor de "Tabacaria" e "Opiário" foi o heterônimo de Fernando Pessoa que cantou o fascínio pela velocidade e encarnou a crise existencial do homem moderno. Poesia reúne sua produção completa e foi organizado segundo as indicações do próprio Pessoa, que previu um livro só com os poemas de Campos. Leia +
Companhia de Bolso

Este livro traz os poemas de Ricardo Reis, o mais clássico dos heterônimos de Fernando Pessoa. Refletindo um espírito rigoroso, defensor do autodomínio e da ausência de desejos como receita de sabedoria, as odes de Reis buscam recuperar a influência das civilizações grega e romana na poesia do século XX. Leia +
Companhia de Bolso

Elucidação de estados psíquicos e devaneios sobre paixão, moral e conhecimento, entre outros temas, absorvem o narrador Bernardo Soares nestas centenas de fragmentos. Seu tom é o de uma intimidade que nunca encontrará repouso. Leia +
Companhia de Bolso

De todos os heterônimos criados por Fernando Pessoa, Alberto Caeiro talvez seja o que corresponda a um esforço de arquitetura mais bem-sucedido. Reunida neste livro, sua poesia divide-se em três partes: O guardador de rebanhos, O pastor amoroso e Poemas inconjuntos. Leia +
Companhia de Bolso

Na beira do cais de Salvador, entrelaçam-se várias histórias de pescadores, marinheiros, prostitutas e malandros. No centro desse mundo que parece parado no tempo, isolado da história, comandado pelo mito de Iemanjá, desenvolve-se a trajetória de Guma, jovem mestre de saveiro. Leia +
Companhia de Bolso

Capitães da Areia, a história crua e comovente de meninos pobres que moram num trapiche abandonado em Salvador, é talvez o romance mais influente de Jorge Amado. Clássico absoluto dos livros sobre a infância abandonada, assombrou e encantou várias gerações de leitores e permanece hoje tão atual quanto na época em que foi escrito. Leia +
Companhia de Bolso

Neste ensaio biográfico, a autora examina todas as biografias já escritas sobre Plath para demonstrar como é tênue o limite entre fato e ficção. Leia +
Companhia de Bolso
A LUTA (2011)

Zaire, 1974: Muhammad Ali desafia George Foreman. Neste relato magistral sobre a maior luta de boxe do século, Mailer põe o leitor na pele do boxeador e o faz pensar e sentir como se estivesse no ringue. É como se ninguém conhecesse o resultado da luta. Leia +
Companhia de Bolso

Este livro reconstitui a história de Muhammad Ali, o maior lutador de boxe de todos os tempos. Recusando-se a assumir qualquer papel exemplar, Ali ajudou a transformar a política racial, a cultura popular e a noção de heroísmo dos norte-americanos, num tempo em que a vida se constituía numa série de enfrentamentos, dentro e fora do ringue. Leia +
Companhia de Bolso

A clássica reportagem de Janet Malcolm sobre a ética jornalística inaugura a série Jornalismo Literário de Bolso, mais econômica. Posfácio de Otavio Frias Filho. Leia +
Companhia de Bolso

Na poesia brasileira do século XX, poucos manejaram tão bem a forma soneto como Vinicius. A leitura deste livro provoca dois tipos de prazer: o que vem da perfeição da forma, exercitada com elegância, e o que se produz na sua ultrapassagem, momento em que a forma é mero condutor para o enobrecimento da realidade. Leia +
Companhia de Bolso

Organizada pelo poeta e filósofo Antonio Cicero e pelo poeta e professor de literatura Eucanaã Ferraz, esta antologia reagrupa a obra de Vinicius segundo um parâmetro crítico que revê idéias consolidadas sobre a poesia do autor. Os organizadores confrontaram diferentes versões e resgataram poemas "esquecidos" para traçar um rico painel da obra de Vinicius de Moraes. Leia +