Livro acessível
0
Carrinho
Companhia das Letras
YUXIN
Ana Miranda



kene, bordado

A pata da onça e aqui olho de periquito... bordar, bordar... Xumani está demorando tanto, quando ele voltar, amanhã, não vou contar nada, se eu contar, Xumani ciumento vai querer ?echar as almas, matar as almas, quem pode as almas matar? bordar bordar... hutu, hutu, hutu, hutu... aprendi o bordado kene em dia de lua nova... bordar... bordar... achei aquele couro de cobra atrás do tear, minha avó me levou mata dentro para eu saudar Yube e aprender o bordado kene, minha avó ensinou as cantigas, aregrate mariasonte, mariasonte bonitito... ela sabia essas cantigas, a avó da avó sabia, a avó da avó da avó, minha mãe sabe... bonitito bonitito yare... titiri titiri titiri titiri we... hutu, hutu, hutu, hutu... vi uma luz, minha avó pingou bawe nos meus olhos para eu enxergar mais claro... tecendo ecantando em dia de lua nova, assim aprendi kene, chamando a força do bawe, a primeira mulher que aprendeu a bordar foi Siriane, no tempo da mãe da mãe da mãe da mãe, foi Siriane quem nos ensinou primeiro o bordado, mas o marido de Siriane a matou titiri titiri titiri titiri we... hutu, hutu, hutu, hutu... será se ele matou Siriane de ciúmes? ela viu as almas? ela saía sozinha? titiri titiri titiri titiri we... bre bre bre bre... foi no tempo da mãe da mãe da mãe da mãe... Xumani vai me matar? por ciúme dos pretendentes espíritos, para quefui ao brejo? mas eu estava com tanta fome... bordar bordar... tem espinho de planta, tem algodoeiro, tem ?or de algodoeiro, um para ali, um para acolá, cada um de um lado, assim, puxa, acocha o ponto, todo tipo de bordado kreõ kreõ kreõ kreõ... o que mais? tem as borboletas deitadas de asas abertas, assim, aqui asa de borboleta, aquele bordado ali é borboleta deitada... titiri titiri titiri titiri we... hutu, hutu, hutu, hutu... Xumani há de voltar, ele sempre voltou, sempre foi e sempre voltou, mas desta vez está demorando tanto, e se as almas o mataram? kreõ kreõ kreõ kreõ... bre bre bre bre... tudo são as almas, elas mandam em tudo, fazem tudo o que acontece, as almas mandam em nós, mandam em tudo as almas.


keu, cantar de passarinho

Tem passarim que pia, tem passarim que canta, tem passarim que chora, que ri, que grita, que vive avoando, a cantar, titiri titiri titiri titiri w˜ e... hutu, hutu, hutu, hutu... idiki, idiki, idiki... eh, eh, eh, eh... bre bre bre bre... tucanos cantam com vozes roucas kreõ kreõ kreõ kreõ... idiki, idiki, idiki... eh, eh, eh, eh... titiri titiri titiri titiri we... bre bre bre bre... hutu, hutu, hutu, hutu... e os tucanos, yaukwê kwê kwê... eh, eh, eh, idiki, idiki, idiki... kwéék! corujas piam, uã uã txu... acauã canta na quentura, juriti geme, tucano assobia, pica-pau bufa, canta a choca, canta azul-uirapuru, canta choquinha, canta cantador, canta amarelo, ? autim ? auteia, tinguaçu canta, maria-assobio assobia, maria-triste chora, bem-te-vi assobia, bem-te-vi faz zoada, voa um atrás do outro, casalzinho, suiriri briga, o dançador dança, o pulador pula, caneleirim canta, gralha gralhadora, sabiá canta, no castanhal assobiam, vite-vite uirapuru, pipira faz barulho, tico-tico faz cigarra, canário-da-terra canta, eles voam no céu dos capulhos do roçado de algodão, passarins cantam nos ninhos de palha, uns não cantam oh! ?cam só ajuntando fruta no chão, uns cantam no longe-ervanço, na capoeira, sabiá-poca, sim, canta oh! seu canto é brincadeira oh! canta na palmeira patoá oh! lá na paxiubinha oh! canta na açaí oh! kreõ kreõ kreõ kreõ... yaukwê kwê kwê... titiri titiri titiri
titiri w e... hutu, hutu, hutu, hutu... tucanos cantam yaukwê kwê kwê... eh, eh, eh, eh... idiki, idiki, idiki... bre bre bre bre... tucanos dizem com voz rouca kreõ kreõ kreõ kreõ...
hutu, hutu, hutu, hutu... hutu, hutu, hutu, hutu... idiki, idiki, idiki... kwéék! hutu, hutu, hutu, hutu... bre bre bre bre... kreõ kreõ kreõ kreõ... yaukwê kwê kwê... garça dorminhoca dorme, falcão faz quiriquiri quiriquiri quiriquiri... passarim passa ali, bordar, bordar... passarim passa acolá... olho de periquito... um para ali um para acolá, cada um de um lado, assim, puxa, acocha o ponto, puxa, acocha, pata da onça... bordar bordar bordar...


meken, mão

Mãos maneiras, dançador de coroa branca, rendeira branca, borboleta ? na, mãos soltinhas, sozinhas, querem tocar tudo, pegam gravetos ou sementes e nem vejo, quebram galhos pequenos pelo caminho, nem percebo que minhas mãos estão quebrando os galhos pelo caminho, mas depois os galhos quebrados servem de marca para eu voltar, mostram o caminho da ida para eu seguir o mesmo, na volta, o sol agora no peito, depois nas costas, meu pai ensinou, sol no peito, sol nas costas... as mãos são uma amiga da outra, uma obedece à outra, as mãos têm uma alma, uma só alma, as mãos são uma brava e outra mansa, que nem tudo, que nem os bichos, as mãos, porém, maneiras, fazem amarras delicadas, ? nas, as mãos gostam de pegar no barro, minhas mãos amassam barro, minhas mãos fazem panelas, minhas mãos lindas panelas fazem, panelas perfeitinhas, alguidares, fazem animais de barro, fazem antinhas, fazem peixinhos, fazem caitituzinhos, fazem macaquinhos de barro, fazem porquinhos de barro, fazem menininhos de barro, fazem trançados, deste, daquele, daqueloutro, todo tipo de trançado, fazem cestos, minhas mãos trançam, riscam, pintam ?os ?nos, pontas de espinhos, com toda a paciência, nunca se cansam, Vai buscar mais ? o! Terminei uma ? eira de bordado, Sai daí! Vem para perto! Traze água! Onde viste o gomo de jarina? Quem é que está gritando assim? Por que ela está
chorando? Quem é que está cantando? eu gosto de passarim cantadorzim, eu gosto de assobio de surulinda... nossas mãos trançam cestos, nossas mãos, nossas mãos fazem mariquinho, nossas mãos fazem bracelete, nossas mãos fazem diadema de pena roxa, diadema de olho de cocão oh! guirlandas de contas oh! bicho de barro oh! pente de talo de cana-brava oh! esteira de talo de buriti oh! nossas mãos trançam, ?am, bordam, cantamos... aregrate mariasonte... riscam, triscam... bonitito bonitito yare... are...grate... maria... sonte... nossas mãos, de um lado a mão mansa e do outro lado a mão braba, ou as duas mãos brabas, ou as duas mãos mansas... terminou? Bota acolá! Bota na cestinha! Na minha kakan! Ali! Acolá! Bota acolá!

Grupo Companhia das Letras

Editora Schwarcz S.A. - São Paulo
Rua Bandeira Paulista, 702, cj. 32
04532-002 - São Paulo - SP
Telefone: 11 3707-3500
Fax: 11 3707-3501
Editora Schwarcz S.A. - Rio de Janeiro
Praça Floriano, 19, sala 3001
20031-050 - Rio de Janeiro - RJ
Telefone: 21 3993-7510
Todos os direitos reservados 2019