Home | Livros | Alfaguara | OUTROS CANTOS
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

OUTROS CANTOS

Maria Valéria Rezende

R$ 52,90

/ À vista

Apresentação

A vencedora do Prêmio Jabuti 2015 de melhor romance oferece uma narrativa comovente sobre passado e futuro.

Frequentemente comprados juntos

Alfaguara

Outros cantos

Maria Valéria Rezende

R$ 52,90

Alfaguara

Quarenta dias

Maria Valéria Rezende

R$ 52,90

Alfaguara

Carta à rainha louca

Maria Valéria Rezende

R$ 53,47

Preço total de

R$ 159,27

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Alfaguara

Carta à rainha louca

Maria Valéria Rezende

R$ 53,47

Alfaguara

O voo da guará vermelha

Maria Valéria Rezende

R$ 42,32

Companhia das Letras

Como se estivéssemos em palimpsesto de putas

Elvira Vigna

R$ 50,32

Alfaguara

Modo de apanhar pássaros à mão (Nova edição)

Maria Valéria Rezende

R$ 49,90

Alfaguara

Redemoinho em dia quente

Jarid Arraes

R$ 57,90

Companhia das Letras

A vida invisível de Eurídice Gusmão

Martha Batalha

R$ 46,32

Companhia das Letras

O clube dos jardineiros de fumaça

Carol Bensimon

R$ 62,90

Alfaguara

A história dos meus dentes

Valeria Luiselli

R$ 42,32

Ficha Técnica

Páginas: 152 Formato: 15.00 X 23.40 cm Peso: 0.282 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 13/01/2016
ISBN: 978-85-5652-001-2 Selo: Alfaguara Ilustração:

SOBRE O LIVRO

A vencedora do Prêmio Jabuti 2015 de melhor romance oferece uma narrativa comovente sobre passado e futuro.

Maria cruza o sertão - e a noite - num ônibus que a levará a algum ponto isolado do Nordeste, e relembra sua primeira incursão naquela região agreste, quarenta anos antes, em condições mais precárias e perigosas, seguindo um anúncio num diário oficial que lista municípios onde se precisava de alfabetizadores para o Mobral. Ela foi "logo aceita, sem mais perguntas, porque, de Brasília, pressionavam os chefetes políticos da região, e ninguém mais, capaz de enfileirar uma letra atrás da outra, estava disposto a se exilar em Olho d'Água e ensinar a ler e escrever aos jovens e adultos". As lembranças do tempo passado em Olho d'Água se cruzam a outras, entre freiras educadoras na Argélia, ou como viajante no México, deparando-se com costumes distantes, e ao mesmo tempo com pessoas de coragem e pureza, que a ajudam a enfrentar as dificuldades do caminho. As mesmas lembranças desfiam a série de impossíveis amores, encontrados em seus anos de juventude, olhares promissores vistos apenas de relance, e dos quais ela guarda lembranças escondidas numa "caixinha dos patuás posta em sossego lá no fundo do baú". Com sutileza e domínio da narrativa, Maria Valéria Rezende vai compondo um retrato emocionante dessa mulher determinada, que sacrifica a própria vida em troca de algo maior.

Sobre o autor