Home | Livros | Zahar | AMOR LÍQUIDO
CLIQUE PARA AMPLIAR

AMOR LÍQUIDO

Sobre a fragilidade dos laços humanos

Zygmunt Bauman

Apresentação

Zygmunt Bauman, um dos mais originais e perspicazes sociólogos da história, investiga de que forma nossas relações tornam-se cada vez mais "flexíveis", gerando níveis de insegurança sempre maiores.

Frequentemente comprados juntos

Zahar

Amor líquido

Zygmunt Bauman

R$ 77,90

Zahar

Cegueira moral

Zygmunt Bauman e Leonidas Donskis

R$ 77,90

Zahar

Nascidos em tempos líquidos

Zygmunt Bauman e Thomas Leoncini

R$ 54,90

Preço total de

R$ 210,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Paralela

O impulso

Ashley Audrain

R$ 59,90

Indisponível

Seguinte

Cartas de amor aos mortos

Ava Dellaira

R$ 54,90

Suma

Misery

Stephen King

R$ 74,90

Paralela

After

Anna Todd

R$ 69,90

Indisponível

Companhia das Letras

Garota, mulher, outras

Bernardine Evaristo

R$ 87,90

Companhia das Letras

Freud (1901) - Obras completas volume 5

Sigmund Freud

R$ 99,90

Companhia das Letras

Uma mulher no escuro -- vencedor Jabuti 2020

Raphael Montes

R$ 59,90

Companhia das Letrinhas

Bem lá no alto

Susanne Strasser

R$ 52,90

Indisponível

Suma

Outsider

Stephen King

R$ 79,90

Penguin-Companhia

O outono da Idade Média (Nova edição)

Johan Huizinga

R$ 82,90

Ficha Técnica

Páginas: 192 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.238 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 21/06/2004
ISBN: 978-85-7110-795-3 Selo: Zahar Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Zygmunt Bauman, um dos mais originais e perspicazes sociólogos da história, investiga de que forma nossas relações tornam-se cada vez mais "flexíveis", gerando níveis de insegurança sempre maiores.

A modernidade líquida, "um mundo repleto de sinais confusos, propenso a mudar com rapidez e de forma imprevisível" em que vivemos, traz consigo uma misteriosa fragilidade dos laços humanos, um amor líquido.
A prioridade a relacionamentos em redes, as quais podem ser tecidas ou desmanchadas com igual facilidade - e frequentemente sem que isso envolva nenhum contato além do virtual -, faz com que não saibamos mais manter laços a longo prazo. Mais que uma mera e triste constatação, esse livro é um alerta: não apenas as relações amorosas e os vínculos familiares são afetados, mas também a nossa capacidade de tratar um estranho com humanidade é prejudicada.
Como exemplo, o autor examina a crise na atual política imigratória de diversos países da União Europeia e a forma como a sociedade tende a creditar seus medos, sempre crescentes, a estrangeiros e refugiados.
Com sua usual percepção fina e apurada, Bauman busca esclarecer, registrar e apreender de que forma o homem sem vínculos - figura central dos tempos modernos - se conecta.