CLIQUE PARA AMPLIAR

Apresentação

Os mais belos trabalhos do poeta que alia a vivacidade das imagens e a musicalidade dos versos ao rigor do raciocínio e à apreciação da linguagem.

O imperador do sorvete e outros poemas

Companhia das Letras

O imperador do sorvete e outros poemas

Wallace Stevens

R$ 69,90

Poemas

Companhia das Letras

Poemas

William Carlos Williams

R$ 46,00

Indisponível
Poemas

Companhia das Letras

Poemas

Marianne Moore

R$ 44,90

Indisponível
Poemas

Companhia das Letras

Poemas

W. B. Yeats

R$ 36,00

Indisponível
Poemas

Companhia das Letras

Poemas

W. H. Auden

R$ 79,90

Indisponível
Poemas

Companhia das Letras

Poemas

Gerard Manley Hopkins

R$ 39,00

Indisponível
O curto verão da anarquia

Companhia das Letras

O curto verão da anarquia

Hans Magnus Enzensberger

R$ 57,00

Indisponível
Os anos vinte

Companhia das Letras

Os anos vinte

Edmund Wilson

R$ 57,00

Indisponível
Poemas

Companhia das Letras

Poemas

Adonis

R$ 79,90

Indisponível
O mundo de ponta-cabeça

Companhia das Letras

O mundo de ponta-cabeça

Christopher Hill

R$ 67,00

Indisponível
Garotos da fuzarca

Companhia das Letras

Garotos da fuzarca

Ivan Lessa

R$ 59,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Collected poems Páginas: 208 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.289 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 25/03/1987
ISBN: 978-85-8509-520-8 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Os mais belos trabalhos do poeta que alia a vivacidade das imagens e a musicalidade dos versos ao rigor do raciocínio e à apreciação da linguagem.

Praticamente inédito no Brasil, Wallace Stevens é um dos maiores poetas norte-americanos do século XX, ao lado de Ezra Pound e T. S. Eliot, William Carlos Williams e Marianne Moore. Este livro reúne os mais significativos poemas de toda a sua obra, como O homem do violão azul e Predomínio do negro. Em cuidada edição bilíngüe e com tradução de Paulo Henriques Britto, finalmente chega até nós uma amostra do que há de melhor na produção poética de Stevens, caracterizada por um equilíbrio perfeito entre leveza e densidade, musicalidade e precisão."Para nós, a terra é nua e plana.Não há sombras. A poesiaMais do que a música há de ocuparO vazio de um céu sem hinos ..."

Sobre o autor

Prêmios