Livro acessível
0
Carrinho
9 resultados
Companhia de Bolso

A história da tomada de Lisboa aos mouros no ano de 1147 e a crônica de um inesperado encontro amoroso na Lisboa do fim dos anos 1980: duas narrativas, tecidas e entretecidas de maneira brilhante, que exploram as possibilidades do romance como meio de recriar o passado e o presente. Leitura obrigatória do vestibular da Unicamp. Leia +
Companhia de Bolso

O que você faria se descobrisse que tem um sósia, dono do mesmo corpo, do mesmo rosto, da mesma voz? É o que acontece com o professor de história Tertuliano Máximo Afonso. Neste inquietante romance sobre a perda da identidade na sociedade globalizada, Tertuliano se vê lançado numa crise existencial ao descobrir que tem um duplo. Leia +
Companhia de Bolso

O autor de "Tabacaria" e "Opiário" foi o heterônimo de Fernando Pessoa que cantou o fascínio pela velocidade e encarnou a crise existencial do homem moderno. Poesia reúne sua produção completa e foi organizado segundo as indicações do próprio Pessoa, que previu um livro só com os poemas de Campos. Leia +
Companhia de Bolso

Este livro traz os poemas de Ricardo Reis, o mais clássico dos heterônimos de Fernando Pessoa. Refletindo um espírito rigoroso, defensor do autodomínio e da ausência de desejos como receita de sabedoria, as odes de Reis buscam recuperar a influência das civilizações grega e romana na poesia do século XX. Leia +
Companhia de Bolso

A história de Fanfarrão Minésio, governador do Chile, narrada por um certo Critilo, que da então colônia escreve ao amigo Doroteu, na Espanha. São treze "cartas" em versos que, simulando falar de estrangeiros, fazem uma mordaz sátira política das Minas Gerais do fim do século XVIII. Leia +
Companhia de Bolso

Elucidação de estados psíquicos e devaneios sobre paixão, moral e conhecimento, entre outros temas, absorvem o narrador Bernardo Soares nestas centenas de fragmentos. Seu tom é o de uma intimidade que nunca encontrará repouso. Leia +
Companhia de Bolso

A península Ibérica se desgarra da Europa e, à medida que navega à deriva pelo Atlântico, vai recriando a própria identidade. Narrativa de corte surrealista, belíssima parábola sobre o isolamento dos povos ibéricos em relação a seus irmãos europeus ao longo dos séculos. Leia +
Companhia de Bolso

De todos os heterônimos criados por Fernando Pessoa, Alberto Caeiro talvez seja o que corresponda a um esforço de arquitetura mais bem-sucedido. Reunida neste livro, sua poesia divide-se em três partes: O guardador de rebanhos, O pastor amoroso e Poemas inconjuntos. Leia +
Companhia de Bolso

"O filho de José e de Maria nasceu como todos os filhos dos homens, sujo de sangue de sua mãe, viscoso das suas mucosidades e sofrendo em silêncio. Chorou porque o fizeram chorar, e chorará por esse mesmo e único motivo." Romance magistral e polêmico do Prêmio Nobel de Literatura de 1998. Leia +
Fechar
Escolha um vendedor

Assine a newsletter da Companhia