Autores / Sergio Flaksman
SERGIO FLAKSMAN
Nasceu no Rio de Janeiro em 1949, e é tradutor desde 1966. Começou a trabalhar em projetos de enciclopédias e, em 1968, fez sua primeira tradução literária, da novela Bonequinha de luxo, de Truman Capote, publicada pela Nova Fronteira, junto com dois outros contos longos do autor, traduzidos pela jornalista Lena Chaves. Envolvido em equipes de produção de grandes obras de referência até 1982 (como a chefia de redação do Dicionário histórico-biográfico do cpdoc da Fundação Getúlio Vargas, para o qual formou a primeira equipe de redatores e fixou os padrões e as normas de produção dos verbetes), foi ainda editor dos doze primeiros números da revista de divulgação científica Ciência Hoje, da sbpc, antes de ocupar os cargos de diretor editorial adjunto e efetivo da Editora Record, onde ficou até 1986. Entre os autores que traduziu estão Stephen Jay Gould, Peter Gay, Gore Vidal, Mark Twain, Shakespeare, Albert Camus, Pirandello, Umberto Eco, Émile Zola, Alfred Jarry, Philip Roth, Jonathan Frenzen, Martin Amis, William Kennedy, Molière, Ariane Mnouchkine, Eugène Ionesco, J. M. Coetzee. Das dezenas de traduções que fez para a Companhia das Letras, destacam-se A sangue frio, de Truman Capote, Istambul e O livro negro, de Orhan Pamuk, Dias na Birmânia, de George Orwell, Coração das trevas, de Joseph Conrad, e a trilogia Sexus, Plexus e Nexus, de Henry Miller.


#SergioFlaksman
Títulos
Faça seu cadastro no Grupo Companhia das Letras e personalize sua experiência