Títulos / Companhia das Letras / INSULTOS IMPRESSOS
Companhia das Letras
INSULTOS IMPRESSOS
Isabel Lustosa


#INSULTOSIMPRESSOS
Proibida durante o período colonial, a imprensa brasileira só passou a existir a partir de 1808, com a chegada de d. João VI, e entre 1821 e 1823 transformou-se na arena em que se discutiu o futuro do país. Este livro mostra uma outra visão da Independência, explicando como nobres, anônimos e poderosos usaram as páginas de jornais, muitas vezes de forma não civilizada, para debater suas idéias e interesses.
Apresentação
No Brasil da Independência, os ventos iluministas levam o homem de letras a deixar o papel de artista para assumir o de mentor da sociedade. Proibida durante o período colonial, a imprensa brasileira só passa a existir a partir de 1808, com a chegada de d. João VI, e entre 1821 e 1823 é eleita a arena por excelência para o debate sobre os rumos da nação luso-brasileira. De um lado, os liberais, pleiteando a permanência do príncipe regente e a convocação da Assembléia; de outro, os monarquistas, defendendo o absolutismo. Sob a lei do pseudônimo, o Visconde de Cairu, os influentes Andrada, o príncipe d. Pedro em pessoa e inúmeros outros personagens fascinantes usam as páginas dos jornais para debater idéias, ideais e interesses, não raro enveredando pelo discurso acalorado, pela ofensa pessoal, pelo insulto, pela difamação e até pelas vias de fato, num momento crucial - com freqüência hilário, mas às vezes chocante - da história brasileira.
Ficha Técnica
Título original: INSULTOS IMPRESSOS
Capa: Ettore Bottini
Páginas: 528
Formato: 14.00 x 21.00 cm
Peso: 0.650 kg
Acabamento: Brochura
Lançamento: 28/06/2000
ISBN: 9788535900156
Selo: Companhia das Letras
Autor
Faça seu cadastro no Grupo Companhia das Letras e personalize sua experiência


Grupo Companhia das Letras

Editora Schwarcz S.A.
Rua Bandeira Paulista, 702, cj. 32
04532-002 - São Paulo - SP
Telefone.: 11 3707-3500
Fax: 11 3707-3501
Todos os direitos reservados 2017