Títulos / Companhia das Letras / NÃO HÁ NADA LÁ
Companhia das Letras
NÃO HÁ NADA LÁ
#NAOHANADALA
Autores de diversas épocas, músicos, poetas e ocultistas, bandoleiros e até um papa se encontram no romance de estreia de Joca Reiners Terron. Do mesmo autor de Do fundo do poço se vê a lua (prêmio Machado de Assis na categoria romance).
Apresentação
Qual a possível relação entre William Burroughs, Jimi Hendrix, Torquato Neto e Aleister Crowley? O terceiro segredo de Fátima, Billy-the-kid e Arthur Rimbaud? Numa verdadeira declaração de amor aos livros e à literatura, Joca Reiners Terron evoca esses e outros personagens numa história que combina ficção científica, cinema, faroeste e poesia.
Publicado originalmente em 2000, Não há nada lá ganhou status de cult na última década. E para além do divertido quebra-cabeça literário, há também um livro ambicioso, que costura tempos e realidades distintas com rigor narrativo digno dos grandes prosadores.
Os devaneios de Guilherme Burgos, o encontro de Jaime Hendrix com Torquato Neto e a relação do ocultista Alistério Crowley com o “astrólogo” Fernando Pessoa levam a trama por um labirinto de acontecimentos insólitos, que podem (ou não) conduzir o mundo ao Apocalipse.
Terron, como um músico habilidoso, transita entre os estilos de suas vítimas literárias, criando um livro que é ao mesmo tempo novo e original, mas partindo de uma tradição que ousou experimentar e renovar.


Ficha Técnica
Título original: NÃO HÁ NADA LÁ
Capa: Retina _ 78
Páginas: 160
Formato: 12.50 x 18.00 cm
Peso: 0.140 kg
Acabamento: Brochura
Lançamento: 20/09/2011
ISBN: 9788535919400
Selo: Companhia das Letras
Série
O INVASOR
Marçal Aquino
São Paulo serve de cenário a um pesadelo sufocante, que mistura ambição, culpa e violência. Assim é O invasor, de Marçal Aquino, novela que só foi concluída cinco anos depois de ter virado roteiro do premiado filme do diretor Beto Brant. Leia +
JUNKY - Drogado
William S. Burroughs
Marco cultural dos anos 1950, Junky descreve o périplo de um viciado em drogas pesadas. O livro entra agora para o time de clássicos malditos da coleção Má Companhia. Leia +
NÃO HÁ NADA LÁ
Joca Reiners Terron
Autores de diversas épocas, músicos, poetas e ocultistas, bandoleiros e até um papa se encontram no romance de estreia de Joca Reiners Terron. Do mesmo autor de Do fundo do poço se vê a lua (prêmio Machado de Assis na categoria romance). Leia +
PILEQUES - Drinques e outras bebedeiras
F. Scott Fitzgerald
Os píncaros da alegria etílica e o tenebroso abismo do vício se encontram nesta seleção de textos sobre álcool de um dos mais brilhantes autores do século XX. Leia +
SONETOS LUXURIOSOS
Pietro Aretino
Escrito há cerca de quinhentos anos, estes Sonetos luxuriosos, de Pietro Aretino, o mais despudorado dos poetas italianos, amado e odiado por sua franqueza, ganham nova edição pelo selo Má Companhia. Tradução e introdução de José Paulo Paes. Leia +
TANTO FAZ & ABACAXI
Reinaldo Moraes
Os dois romances cult dos anos 80, que contam as peripécias de um cara de trinta e poucos anos em Paris e Nova York, com altas doses de sexo, drogas e muita bebida, aparecem reunidos nesta nova edição revista pelo autor, Reinaldo Moraes, um dos escritores que integra o clã dos “malditos” da coleção Má Companhia. Leia +
Autor
Faça seu cadastro na Companhia das Letras e personalize sua experiência


Grupo Companhia das Letras

Editora Schwarcz S.A.
Rua Bandeira Paulista, 702, cj. 32
04532-002 - São Paulo - SP
Telefone.: 11 3707-3500
Fax: 11 3707-3501
Todos os direitos reservados 2017