Livro acessível
0
Carrinho
Capista / Ettore Bottini
ETTORE BOTTINI


#EttoreBottini
Catálogo
Objetiva
BEETHOVEN (2007)
Breves Biografias

Leia +
Companhia das Letras
Mocambos e comunidades de senzalas no Rio de Janeiro, século XIX

Estudo bem documentado e abrangente sobre a luta dos escravos em busca da liberdade, na província do Rio de Janeiro no século XIX. Reedição revista e ampliada de um clássico publicado em 1995. Leia +
Companhia das Letras
Política e administração na América portuguesa do século XVIII

Em um diálogo crítico com a historiografia mais recente, Laura de Mello e Souza repensa o papel da centralização monárquica na administração da América portuguesa. A autora defende a idéia de que a unidade brasileira foi vista primeiro por Portugal, antes mesmo que os próprios habitantes da terra cogitassem essa possibilidade. Leia +
Companhia das Letras
Estudos Machadianos

Um dos mais respeitados críticos literários brasileiros analisa a obra de Machado de Assis em três ensaios de rara clareza. Alfredo Bosi apresenta uma abordagem compreensiva e multifacetada de Machado, calcada em rigorosa pesquisa histórica, mas sempre ciente da autonomia literária. Leia +
Companhia das Letras
De Cristóvão Colombo a Blade Runner (1492-2019)

Combinando pesquisa histórica, sensibilidade etnográfica e elegância narrativa, o historiador Serge Gruzinski examina o programa de ocidentalização do continente americano por intermédio das políticas visuais adotadas pelos espanhóis e da recepção das imagens cristãs pelos indígenas. Leia +
Companhia das Letras
E outros ensaios

A necessidade humana do divino é investigada neste livro em textos de formatos variados, construídos entre leituras, recordações de infância e pesquisas antropológicas. Leia +
Companhia das Letras
Histórias de mulheres da sociedade escravista brasileira

Duas histórias verídicas revelam facetas inesperadas do funcionamento da sociedade e da cultura escravista brasileira do século XIX - com suas regras e exceções, caprichos e ambigüidades - e lançam nova luz sobre o papel da mulher nas engrenagens da escravidão. Leia +
Companhia das Letras
Escravos, marinheiros e intermediários do tráfico negreiro de Angola ao Rio de Janeiro (1780-1860)

Jaime Rodrigues traça uma história social da escravidão, refazendo o percurso do tráfico de africanos desde a captura dos escravos até a chegada ao Brasil. Seguindo a rota que ligava Angola ao Rio de Janeiro, o autor acompanha os sujeitos do tráfico, os intermediários e outros agentes do comércio negreiro. Leia +
Companhia das Letras
Uma década de terrorismo internacional no Cone Sul

Os Anos do Condor descreve a aliança de ditadores da América do Sul concebida na década de 1970 para deter o avanço do comunismo: a Operação Condor. Criado pela ditadura de Augusto Pinochet, o Condor foi responsável pela execução de guerrilheiros, líderes políticos e milhares de civis em todo o continente. Leia +
Companhia das Letras
As Conferências Reith de 1993

O que é um intelectual? Qual a sua relação com a sociedade, a imprensa e as instituições? Até que ponto um intelectual pode ser independente? Nesse pequeno livro de reflexões, Edward Said, autor do clássico Orientalismo, tenta responder a essas questões com erudição e clareza. Leia +
Companhia das Letras

Albert Hourani analisa o impacto das sociedades européias na cultura muçulmana, por meio das discussões travadas por líderes intelectuais e religiosos do mundo árabe. O debate, acompanhado de dentro, dá ao leitor uma visão mais próxima - e talvez inédita - da questão muçulmana. Leia +
Companhia das Letras
A formação do mercado editorial brasileiro e a censura aos quadrinhos, 1933-64

Os quadrinhos, trazidos ao Brasil pela primeira vez pelo jornalista Adolfo Aizen - e recusados por Roberto Marinho, seu chefe na redação de O Globo -, provocaram uma verdadeira guerra entre editores, políticos e moralistas de plantão. Neste livro, Gonçalo Junior narra uma história feita de heróis de papel e vilões de carne e osso. Leia +
Companhia das Letras
Literatura popular e pornográfica no Rio de Janeiro (1870-1924)

Nesta pesquisa sobre o mercado de livros populares do Rio de Janeiro do século XIX, uma arqueologia da literatura menos prestigiada - mas não por isso menos interessante - daquele tempo. Acompanham ilustrações e reproduções de páginas dos livros analisados. Leia +
Companhia das Letras

O ensaísta e crítico de cinema Jean-Claude Bernardet, conhecido por livros como Brasil em tempo de cinema e Cineastas e imagens do povo, publica pela primeira vez um ensaio sobre um diretor não brasileiro. Em Caminhos de Kiarostami, Bernardet investiga a obra de um dos maiores expoentes do cinema contemporâneo. Leia +
Companhia das Letras
Senhores, letrados e o controle dos escravos nas Américas, 1660-1860

Nesta pesquisa pioneira, uma visão ampla e aprofundada sobre as diversas maneiras como o trabalho escravo foi concebido e explorado no continente americano. Abordando três séculos de escravidão, Rafael de Bivar Marquese lança nova luz à compreensão histórica de nosso continente. Leia +
Companhia das Letras
Feiticeiras, adivinhos e curandeiros em Portugal, no século XVI

Através de pesquisa minuciosa nos arquivos da Inquisição, o historiador português Francisco Bethencourt recupera uma visão mágica do mundo, destacando o significado simbólico e social da feitiçaria e das práticas mágicas em Portugal no século XVI. Leia +
Companhia das Letras

Reunião de ensaios da filósofa alemã sobre moralidade e responsabilidade em tempos de alienação e domínio da visibilidade. Arendt propõe uma ética no domínio público da ação e da política, destacando o papel da reflexão e da crítica como atividades intelectuais decisivas no mundo pós-totalitário. Leia +
Companhia das Letras
Estudo sobre a literatura imaginativa de 1870 a 1930

Ensaios que aliam erudição a linguagem acessível e envolvente sobre autores do final do século XIX e escritores que fundaram a vanguarda literária: Rimbaud, Yeats, Valéry, Proust, Eliot, Joyce, Villiers de l'Isle Adam e Gertrude Stein. Inclui prefácio de Hugh Kenner, grande estudioso de Ezra Pound e Samuel Beckett. Leia +
Companhia das Letras

Em oito ensaios originalmente apresentados como conferências na Universidade de Oxford durante o ano 2000, o ensaísta italiano analisa o renascimento das mitologias grega e oriental em autores da literatura européia do século XIX, como Hölderlin, Baudelaire e Lautréamont, e o surgimento de uma literatura absoluta, sem compromissos extra-literários. Leia +
Companhia das Letras
Memórias

O ensaísta e crítico literário palestino Edward Said - que morreu em setembro de 2003 - revê a própria trajetória intelectual e biográfica. Said narra o doloroso processo de construção de sua identidade, dividia entre Oriente e Ocidente, tendo como pano de fundo os eventos traumáticos que convulsionaram o Oriente Médio na segunda metade do século XX. Leia +
Companhia das Letras

Estudioso do Rio de Janeiro do século XIX, Sidney Chalhoub analisa obras de Machado de Assis sob a luz da história social: romances e contos lhe permitem buscar o sentido das mudanças do período, segundo a visão do escritor. Ao rever o debate em torno da lei do Ventre Livre (1871), o autor mostra também o empenho do Machado funcionário público na aplicação da lei. Leia +
Companhia das Letras
Reflexões sobre música e sociedade

O crítico palestino Edward Said e o pianista judeu Daniel Barenboim registraram conversas sobre música, arte e política, evidenciando tanto os paralelos como os paradoxos de suas vidas. O resultado é um diálogo inteligente acerca de temas como o conflito no Oriente Médio, tolerância religiosa, literatura, Richard Wagner, Ludwig Van Beethoven e Theodor W. Adorno. Leia +
Companhia das Letras
A história do levante dos Malês em 1835

A história da revolta dos negros muçulmanos que, na Bahia do século XIX, pretendiam abolir a escravidão africana. A imbricação entre religião e identidade étnica é o argumento central do livro, um clássico sobre os estudos da história dos negros no Brasil, publicado originalmente em 1986. Reedição revista e ampliada, com cerca de oitenta imagens de época. Leia +
Companhia das Letras

Reedição atualizada de um livro que marcou a discussão sobre o cinema brasileiro. Bernardet analisa documentários dos anos 60 e 70 - Viramundo, ABC da greve, Opinião pública, Aruanda, entre outros - enfocando a relação dos diretores com a temática popular. Inclui ensaios inéditos sobre filmes como Cabra marcado para morrer e Os anos JK. Leia +
Companhia das Letras
Dos babilônios a Newton

Arkan Simaan e Joëlle Fontaine - ele professor de física, ela de história -, combinam filosofia, religião e ciência para apresentar mais de 3 mil anos de astronomia. A imagem do mundo aprofunda aspectos teóricos, contextualiza fatos históricos e esmiúça detalhes biográficos de cientistas como Galileu e Copérnico, num texto claro e envolvente. Leia +
Companhia das Letras
Sociedades indígenas e ocidentalização no México espanhol - Séculos XVI e XVIII

Uma viagem de descoberta pelo México colonial. Em meio ao caos decorrente da conquista espanhola, grupos indígenas buscam adaptações capazes de devolver sentido ao mundo. Marcado pela violência, o encontro dos dois povos exigiu uma série de reinvenções culturais por parte dos índios, que criaram, assim, um mundo novo - colonial, mestiço e moderno. Leia +
Companhia das Letras

A pedido do editor Hugo Heller, Sigmund Freud elaborou uma lista de "dez bons livros". Em dois alentados volumes, Rouanet apresenta os autores eleitos - Anatole France, Émile Zola e Mark Twain, entre outros - e faz um panorama da Viena da belle époque, de interesse para historiadores, psicanalistas e todos os que consideram os livros "bons amigos". Leia +
Companhia das Letras
O outro lado do mito

Heroína, perdulária, megera, devoradora de homens? A autora reconstrói a trajetória de Chica da Silva, desmonta o estereótipo de sensualidade que a acompanha e mostra como Chica se inseriu na sociedade das Minas Gerais do século XVIII por meio do concubinato com o contratador dos diamantes João Fernandes de Oliveira, com quem teve treze filhos. Leia +
Companhia das Letras
Uma investigação de história cultural

O quilombo do Leblon foi determinante para o êxito da campanha abolicionista. Nele, nasceu a idéia da abolição tal como se concretizou no país. O autor conta a história do movimento a partir do estudo dessa comunidade de negros fugitivos, localizada em pleno Rio de Janeiro, onde se cultivavam camélias - motivo pelo qual a flor virou símbolo da luta contra a escravidão. Leia +
Companhia das Letras
Instantâneos de uma guerra oculta

Quatro fotógrafos que registraram os violentos conflitos entre as facções negras nos últimos anos de apartheid, na África do Sul, ficaram conhecidos como Clube do Bangue-Bangue. Dois deles contam a história do Clube e refletem sobre a ética que divide os repórteres entre a obstinação pela melhor foto e o desejo de interferir nos fatos. Leia +
197


Assine a newsletter da Companhia

Grupo Companhia das Letras

Editora Schwarcz S.A. - São Paulo
Rua Bandeira Paulista, 702, cj. 32
04532-002 - São Paulo - SP
Telefone: 11 3707-3500
Fax: 11 3707-3501
Editora Schwarcz S.A. - Rio de Janeiro
Praça Floriano, 19, sala 3001
20031-050 - Rio de Janeiro - RJ
Telefone: 21 3993-7510
Todos os direitos reservados 2020