Home | Livros | Companhia das Letras | PAISAGEM COM DROMEDÁRIO
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

PAISAGEM COM DROMEDÁRIO

Carola Saavedra
  • Livro impresso sob demanda. Produzido e enviado por: Um Livro

Apresentação

Numa ilha remota, entre turistas e dromedários, uma artista plástica registra mensagens ao seu amado num gravador. Nelas, reconstitui uma história complexa, que inclui um insólito triângulo amoroso e inquietas experiências estéticas.

Flores azuis

Companhia das Letras

Flores azuis

Carola Saavedra

R$ 64,90

Indisponível
O inventário das coisas ausentes

Companhia das Letras

O inventário das coisas ausentes

Carola Saavedra

R$ 59,90

Indisponível
Com armas sonolentas

Companhia das Letras

Com armas sonolentas

Carola Saavedra

R$ 79,90

Indisponível
Prólogo, ato, epílogo

Companhia das Letras

Prólogo, ato, epílogo

Fernanda Montenegro

R$ 79,90

Tudo o que tenho levo comigo

Companhia das Letras

Tudo o que tenho levo comigo

Herta Müller

R$ 64,90

Indisponível
Escuta só

Companhia das Letras

Escuta só

Alex Ross

R$ 89,90

Indisponível
Sobre o autoritarismo brasileiro

Companhia das Letras

Sobre o autoritarismo brasileiro

Lilia Moritz Schwarcz

R$ 79,90

Ficha Técnica

Título original: Paisagem com dromedário Páginas: 168 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.245 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 20/04/2010
ISBN: 978-85-3591-638-6 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Numa ilha remota, entre turistas e dromedários, uma artista plástica registra mensagens ao seu amado num gravador. Nelas, reconstitui uma história complexa, que inclui um insólito triângulo amoroso e inquietas experiências estéticas.

Autoexilada numa ilha, Érika grava mensagens endereçadas a Alex, seu amado. Nas 22 gravações que compõem Paisagem com dromedário, ela tenta reconstituir e compreender seu passado.
Artistas plásticos, Érika e Alex se envolveram durante anos em experiências estéticas e existenciais, que incluíam obras em parceria e um insólito triângulo amoroso com a jovem Karen.
A perplexidade diante da morte de Karen, e do seu próprio comportamento em relação à amiga, da qual se afastou ao saber que ela estava com câncer, parece ser uma das motivações para o exílio voluntário de Érika e para sua rememoração do passado.
No centro das inquietações da narradora está a questão da identidade. Onde começava a sua personalidade de artista e de mulher e onde terminava a influência ao mesmo tempo fecunda e opressora de Alex? Érika se entrega a esse exercício retrospectivo, em que se misturam a memória, a imaginação e um implacável raciocínio crítico.
Em Paisagem com dromedário, Carola Saavedra atualiza radicalmente o gênero epistolar, aproximando-o do cinema e do radioteatro. Reafirma assim o vigor e a originalidade de sua escrita, uma das mais marcantes do atual panorama literário brasileiro.

Sobre o autor

Vídeo