10 livros inspirados em brincadeiras para ler e se divertir!

09/02/2024


Os livros podem inspirar mil brincadeiras. É comum que as crianças reproduzam os diálogos que ouvem nas histórias, que queiram se vestir com a capa vermelha da chapeuzinho ou com o chapéu da bruxa (nem sempre) malvada e mergulhem no faz de conta. Mas e quando são as brincadeiras que inspiram as histórias?

Ilustração de A Gangorra

Em A gangorra, personagens improváveis vão chegando a cada virada de página 


Alguns autores alcançam a proeza de trazer para o papel brincadeiras em formato de narrativa (ou seria o contrário?) convidando os leitores - grandes ou pequenos - a participar das dinâmicas que eles já conhecem tão bem. Quer brincar também?


Selecionamos 10 livros para ler brincando - ou brincar lendo. Você decide:


A gangorra (Companhia das Letrinhas, 2024), de Joaquín Camp

Capa de A gangorra

No sobe e desce da gangorra, cada hora senta mais um. Este é um conto acumulativo cheio de personagens inusitados, em que o olhar oscila de uma página para outra, esperando sempre o próximo a entrar na brincadeira - seja para assustar, seja para se aconchegar, seja para pegar impulso… e voar!

Estátua! (Companhia das Letrinhas, 2024), de Renato Moriconi 

Capa de Estátua, de Renato Moriconi

Você conhece bem a brincadeira: se o pegador conseguir encostar… estátua! Quem foi pego fica paralisado. Mas e quando os efeitos são literais? Adicionando uma dose de fantasia a um joguete tão conhecido, o autor cria um final surpreendente - e encantado.

Telefone sem fio (Companhia das Letrinhas, 2010), de Ilan Brenman, com ilustrações de Renato Moriconi

Capa de Telefone sem fio

Qual será a mensagem sussurrada que vai passando de um pirata, para um rei, depois para um caçador, depois para a vovozinha, depois para um lobo vestido com a capa Vermelho da Chapeuzinho? O que será que dizem os cochichos? Cabe ao leitor imaginar - ou inventar!

Achou? (Companhia das Letrinhas, 2021), de Aline Abreu

Capa de Achou?, de Aline Abreu

Se tem uma brincadeira que bebês e crianças bem pequenas a-do-ram é fazer “Cadê? Achou!” Neste livro, são os bichos que se escondem em meio a cenas cheias de detalhes delicados. Ilustrados com traços leves, é preciso observá-los com atenção para descobrir qual elefante comeu o bolo ou qual é a gata dorminhoca. 


Espelho (Companhia das Letrinhas, 2021), de Suzy Lee

Capa de Espelho de Suzy Lee

Ao se deparar com o próprio reflexo no espelho, a menina começa a brincar com sua imagem. Como nas demais obras da premiada autora, os limites demarcados pela própria configuração do livro começam a ser transgredidos. E as margens entre realidade e imaginação se dissolvem. Um livro só com imagens para ver além.


Sombra (Companhia das Letrinhas, 2018), Suzy Lee

Capa de Sombra, de Suzy Lee

Esta história começa quando uma menina resolve acender uma lâmpada no sótão e vê a sombra de todos os objetos ali guardados se projetarem da forma mais fantástica. Borboletas, elefantes e lobos estampam o chão e as paredes. Mais uma obra de Suzy Lee que brinca com os limites do livro e se ancora na beleza das descobertas mais ordinárias. 


Coleção Objetos Brincantes (Brinque-Book), de Patricia Auerbach

Capa de A panela

Todas as obras da coleção partem do mesmo princípio: a exploração de objetos cotidianos, transformados pela imaginação, que abrem mil possibilidades de brincadeira. A panela (Brinque-Book, 2023) vira carro de corrida e instrumento de percusssão. A garrafa (Brinque-Book, 2018) passa de tromba de elefante para foguete. O jornal (Brinque-Book, 2012) se dobra para que o menino se transforme em surfista, aviador, cavaleiro e até pirata! O lenço (Brinque-Book, 2013), primeira obra da coleção, passa de tenda para vestido de princesa em uma virada de página. São quatro livros-imagem para despertara  curiosidade das crianças e inspirá-las se divertirem com tudo o que encontrarem nos armários de casa. 

LEIA MAIS: Por que as crianças precisam abraçar o tédio

 

Compartilhe:

Veja também