Home | Livros | Companhia das Letras | INCIDENTE EM ANTARES
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

INCIDENTE EM ANTARES

Erico Verissimo

Apresentação

Numa sexta-feira 13, em 1963, sete pessoas morrem em Antares. Mas os coveiros estão em greve, e os defuntos, insepultos, vagam pela cidade vasculhando a intimidade de parentes e amigos. Em sua condição de fantasmas, podem denunciar à vontade os segredos dos mandantes locais.

Você pode gostar também de

Companhia de Bolso

Incidente em Antares

Erico Verissimo

R$ 64,90

Companhia das Letras

Olhai os lírios do campo

Erico Verissimo

R$ 69,90

Companhia das Letras

Música ao longe

Erico Verissimo

R$ 49,90

Indisponível

Companhia das Letras

Um lugar ao sol

Erico Verissimo

R$ 67,90

Indisponível

Companhia das Letras

O senhor embaixador

Erico Verissimo

R$ 94,90

Indisponível

Companhia das Letras

O resto é silêncio

Erico Verissimo

R$ 94,90

Indisponível

Companhia das Letras

O prisioneiro

Erico Verissimo

R$ 52,90

Indisponível

Companhia das Letras

Caixa - o tempo e o vento

Erico Verissimo

R$ 329,90

Indisponível

Companhia das Letras

Incidente em Antares (Edição especial)

Erico Verissimo

R$ 152,92

Companhia das Letras

Um certo capitão Rodrigo

Erico Verissimo

R$ 64,90

Companhia das Letras

Solo de clarineta, vol. 1

Erico Verissimo

R$ 89,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Incidente em Antares Páginas: 440 Formato: 13.70 X 21.00 cm Peso: 0.525 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 17/01/2005
ISBN: 978-85-3590-596-0 Selo: Companhia das Letras Ilustração: Paulo von Poser

SOBRE O LIVRO

Numa sexta-feira 13, em 1963, sete pessoas morrem em Antares. Mas os coveiros estão em greve, e os defuntos, insepultos, vagam pela cidade vasculhando a intimidade de parentes e amigos. Em sua condição de fantasmas, podem denunciar à vontade os segredos dos mandantes locais.

Em dezembro de 1963, uma sexta-feira 13, a matriarca Quitéria Campolargo arregala os olhos em sua tumba, imaginando estar frente a frente com o Criador. Mas logo descobre que está do lado de fora do cemitério da cidade de Antares, junto com outros seis cadáveres, mortos-vivos como ela, todos insepultos.
Uma greve geral na cidade, à qual até os coveiros aderiram, impede o enterro dos mortos. Que fazer? Os distintos defuntos, já em putrefação, resolvem reivindicar o direito de serem enterrados - do contrário, ameaçam assombrar a cidade. Seguem pelas ruas e casas, descobrindo vilanias e denunciando mazelas. O mau cheiro exalado por seus corpos espelha a podridão moral que ronda a cidade.
Em Incidente em Antares, Erico Verissimo faz uma sátira política contundente e hilariante que, mesmo lançada em 1971, em plena ditadura militar, não teve receio de abordar temas como tortura, corrupção e mandonismo.

"Desta vez abri a veia da sátira e deixei seu sangue escorrer livre e abundantemente." - Erico Verissimo

Sobre o autor