Home | Livros | Companhia das Letras | SEMENTES MÁGICAS
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

SEMENTES MÁGICAS

V. S. Naipaul
Tradução: Alexandre Hubner

R$ 74,90

/ À vista

Apresentação

Depois de viver em Londres, esboçar uma carreira de escritor e mudar-se para uma ex-colônia africana, Willie Chandran se depara novamente com sua Índia natal, agora como guerrilheiro engajado numa luta cujo sentido ele mal compreende.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Sementes mágicas

V. S. Naipaul

R$ 74,90

Companhia das Letras

A máscara da África

V. S. Naipaul

R$ 74,90

Companhia das Letras

Homenagem à Catalunha

George Orwell

R$ 69,90

Preço total de

R$ 219,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O massagista místico

V. S. Naipaul

R$ 69,90

Companhia das Letras

A máscara da África

V. S. Naipaul

R$ 74,90

Companhia das Letras

Meia vida

V. S. Naipaul

R$ 59,90

Indisponível

Companhia das Letras

O clube filosófico dominical

Alexander McCall Smith

R$ 69,90

Companhia das Letras

Os anos do condor

John Dinges

R$ 77,90

Indisponível

Companhia das Letras

O enigma da chegada

V. S. Naipaul

R$ 69,90

Indisponível

Companhia das Letras

O império derrotado

Kenneth Maxwell

R$ 79,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Magic seeds Páginas: 264 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.338 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 31/05/2007
ISBN: 978-85-3591-028-5 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Depois de viver em Londres, esboçar uma carreira de escritor e mudar-se para uma ex-colônia africana, Willie Chandran se depara novamente com sua Índia natal, agora como guerrilheiro engajado numa luta cujo sentido ele mal compreende.

Em busca de um significado para a vida, Willie Chandran resolve seguir os conselhos da irmã e se engajar na guerrilha rural indiana. O protagonista mergulha no país ancestral que renegou na juventude, quando foi estudar em Londres, mas a Índia que redescobre é um mundo miserável, hostil e incompreensível. Willie então se vê perdido entre a violência de aliados e de inimigos, em meio a uma população passiva e indiferente.
Estrangeiro em sua terra natal, Willie vive até o fundo a experiência do fracasso e acaba voltando a Londres. Nos trinta anos em que esteve fora, porém, a cidade se transformou numa babélica meca de imigrantes do Terceiro Mundo. Ele agora precisa decifrar novamente a metrópole e inventar uma outra existência.
Como na melhor ficção de Naipaul, a trajetória errante de um personagem à deriva serve para revelar as contradições e misérias do mundo contemporâneo. Em estilo direto e envolvente, com uma ironia quase cruel, o autor desnuda de toda ilusão religiosa ou política seu personagem mais caro (que havia aparecido em Meia-vida e que muitos consideram parcialmente autobiográfico), para confrontá-lo com as arestas irredutíveis da existência.

Sobre o autor