CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

Apresentação

Uma mistura de romance, conto, fábula e relato de aventura, Seda é a história de um homem que mergulha num universo de mistério, onde vive uma paixão proibida. Mas é, acima de tudo, um livro a respeito de sensações, descritas na prosa ao mesmo tempo concisa e lírica de um dos mais importantes escritores italianos.

Você pode gostar também de

Alfaguara

Três vezes ao amanhecer

Alessandro Baricco

R$ 52,90

Alfaguara

A noiva jovem

Alessandro Baricco

R$ 52,90

Alfaguara

Mr. Gwyn

Alessandro Baricco

R$ 54,90

Indisponível

Companhia das Letras

O pintor de batalhas

Arturo Pérez-Reverte

R$ 54,90

Indisponível

Companhia das Letras

A zona do desconforto

Jonathan Franzen

R$ 67,90

Companhia das Letras

Casa de encontros

Martin Amis

R$ 62,90

Companhia das Letras

O vulto das torres

Lawrence Wright

R$ 97,90

Companhia das Letras

O reino do amanhã

J. G. Ballard

R$ 77,90

Companhia das Letras

Assunto encerrado

Italo Calvino

R$ 77,90

Indisponível

Companhia das Letras

O jovem Stálin

Simon Sebag Montefiore

R$ 97,90

Indisponível

Companhia das Letras

Deixei ele lá e vim

Elvira Vigna

R$ 54,90

Companhia das Letras

Borges oral & sete noites

Jorge Luis Borges

R$ 62,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Seta Páginas: 128 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.196 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 11/09/2007
ISBN: 978-85-3591-086-5 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Uma mistura de romance, conto, fábula e relato de aventura, Seda é a história de um homem que mergulha num universo de mistério, onde vive uma paixão proibida. Mas é, acima de tudo, um livro a respeito de sensações, descritas na prosa ao mesmo tempo concisa e lírica de um dos mais importantes escritores italianos.

É no caráter híbrido, irredutível a classificações imediatas, que reside a riqueza de Seda. A história se desenvolve sobre a trajetória de Hervé Joncour, numa cidade francesa cuja economia floresce, em meados do século XIX, com o incipiente negócio da seda. Nas viagens que faz ao Japão para comprar o produto, descortina-se para ele um mundo a um tempo arcaico e novo, no qual a estranheza se mistura ao fascínio e à paixão. Seda é um relato de sensações, de como a realidade objetiva se transmuda na visão, na memória e na linguagem. O texto se desenvolve sobre as imagens possíveis do que é puro mistério para Joncour: o "fim do mundo", definido como "invisível", cores "mais leves que o nada", ideogramas que são como "cinzas de uma voz queimada". É em tal poder evocativo das palavras que o protagonista acaba encontrando, já velho e reconciliado com as lembranças, um sentido para a existência. Nesse tempo pouco definível, entre o passado ainda ardente e a melancolia de um futuro pacífico, ele encontra "um modo exato de estar no mundo". "Na manhã em que escreveu Seda, Baricco imaginou que toda a literatura do mundo desaparecera [...] Como Flaubert, queria escrever 'um livro feito de nada'." - Pietro Citati, La Repubblica

Sobre o autor