Home | Livros | Zahar | A ECONOMIA EM MACHADO DE ASSIS
CLIQUE PARA AMPLIAR

A ECONOMIA EM MACHADO DE ASSIS

O olhar oblíquo do acionista

Machado de Assis e Gustavo H.B. Franco

Você pode gostar também de

Zahar

A economia em Pessoa

Gustavo H.B. Franco Fernando Pessoa

R$ 59,90

Indisponível

Zahar

Antologia da maldade, volume I

Gustavo H.B. Franco Fábio Giambiagi

R$ 82,90

Companhia das Letras

50 contos de Machado de Assis

Machado de Assis

R$ 77,90

Indisponível

Zahar

Shakespeare e a economia

Gustavo H.B. Franco Henry W. Farnam

R$ 59,90

Indisponível

Zahar

As leis secretas da economia

Gustavo H.B. Franco

R$ 67,90

Zahar

A Moeda e a Lei (capa dura)

Gustavo Franco

R$ 162,90

Penguin-Companhia

Memórias póstumas de Brás Cubas

Machado de Assis

R$ 49,90

Indisponível

Penguin-Companhia

O jornal e o livro

Machado de Assis

R$ 34,90

Ficha Técnica

Páginas: 272 Formato: 16.00 X 23.00 cm Peso: 0.48 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 29/11/2007
ISBN: 978-85-3780-044-7 Selo: Zahar Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Machado de Assis escreveu cerca de seiscentas crônicas entre 1883 e 1900, muitas delas publicadas em jornais da época e que trataram de temas importantes como a Abolição da Escravatura, o Encilhamento e a Proclamação da República. A partir desse rico e vasto material historiográfico, o economista e ex-presidente do Banco Central Gustavo H.B. Franco produziu uma seleção inédita de textos do escritor, que tratam de temas econômicos e financeiros da época.
Além da seleção, Franco introduz e comenta os textos de Machado, contextualizando os fatos que ganharam a atenção e o olhar do cronista. A economia em Machado de Assis é, assim, um privilégio historiográfico, a chance de visitar o passado brasileiro, em um momento rico e tumultuado, com a companhia de um dos grandes escritores da literatura mundial e um dos mais brilhantes economistas do país.
"Franco volta a surpreender. Escrevendo sobre o 'olhar oblíquo do acionista', o autor demonstra possuir um olhar tão oblíquo quanto o do bruxo do Cosme Velho, pois conseguiu descobrir em várias crônicas de Machado de Assis um leitmotiv que escapou a críticos literários dotados de visão mais retilínea. ... O livro é um deleite, e um deleite duplo. É bem escrito, bem argumentado, e abre trilhas para uma nova compreensão de Machado de Assis. Oferece ainda, como bônus, uma oportunidade para ler ou reler algumas das melhores crônicas de Machado." Sergio Paulo Rouanet