Home | Livros | Seguinte | ÚLTIMAS MENSAGENS RECEBIDAS
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

ÚLTIMAS MENSAGENS RECEBIDAS

Emily Trunko

R$ 69,90

/ À vista

Apresentação

Quando uma mensagem é a última, ela pode significar um fim, uma perda, ou até um alívio. E se você fosse o destinatário?

Frequentemente comprados juntos

Seguinte

Últimas mensagens recebidas

Emily Trunko

R$ 69,90

Seguinte

Cartas secretas jamais enviadas

Emily Trunko

R$ 69,90

Seguinte

Por lugares incríveis

Jennifer Niven

R$ 50,92

Preço total de

R$ 190,72

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Seguinte

Cartas secretas jamais enviadas

Emily Trunko

R$ 69,90

Seguinte

Queria que você me visse

Emery Lord

R$ 54,90

Seguinte

Céu sem estrelas

Iris Figueiredo

R$ 59,90

Seguinte

Por lugares incríveis

Jennifer Niven

R$ 50,92

Seguinte

Aos dezessete anos

Ava Dellaira

R$ 59,90

Seguinte

Conectadas

Clara Alves

R$ 50,92

Seguinte

Juntos somos eternos

Jeff Zentner

R$ 59,90

Seguinte

Dias de despedida

Jeff Zentner

R$ 59,90

Seguinte

Juntando os pedaços

Jennifer Niven

R$ 59,42

Seguinte

Uma bolota molenga e feliz

Sarah Andersen

R$ 64,90

Seguinte

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo

Benjamin Alire Sáenz

R$ 59,90

Seguinte

O ceifador

Neal Shusterman

R$ 62,91

Ficha Técnica

Páginas: 176 Formato: 21.00 X 16.00 cm Peso: 0.392 kg Acabamento: Livro capa dura Lançamento: 23/11/2017
ISBN: 978-85-5534-060-4 Selo: Seguinte Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Quando uma mensagem é a última, ela pode significar um fim, uma perda, ou até um alívio. E se você fosse o destinatário?

A partir de contribuições anônimas, a jovem Emily Trunko reuniu nesta coletânea mensagens que contam histórias reais sobre os mais variados tipos de despedida: o fim de uma amizade, o término de um relacionamento ou até mesmo um acontecimento trágico que muda a vida do destinatário e do remetente para sempre.
Enviadas por celular, por e-mail ou pelas redes sociais, essas mensagens narram perdas profundas e inspiram muita reflexão. Será que não deveríamos expressar mais o amor que sentimos pelas pessoas enquanto isso ainda é possível? Ou, em alguns casos, nos afastar o quanto antes daquelas que nos fazem mal?

Sobre o autor