Home | Livros | Companhia das Letras | MANUAL DE PINTURA E CALIGRAFIA
CLIQUE PARA AMPLIAR

MANUAL DE PINTURA E CALIGRAFIA

José Saramago

Apresentação

Uma autobiografia, um diário de viagem ao redor de autores e obras, um romance e um tratado. Lançado em 1977, este Manual prenuncia os temas e o vigor que fariam de Saramago um dos mais importantes autores da língua portuguesa.

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O ano de 1993

José Saramago

R$ 54,90

Indisponível

Companhia das Letras

Objecto quase

José Saramago

R$ 64,90

Indisponível

Companhia das Letras

A bagagem do viajante

José Saramago

R$ 74,90

Indisponível

Companhia das Letras

As pequenas memórias

José Saramago

R$ 64,90

Indisponível

Companhia das Letras

A jangada de pedra

José Saramago

R$ 84,90

Companhia das Letras

Que farei com este livro?

José Saramago

R$ 69,90

Indisponível

Companhia das Letras

Don Giovanni ou o dissoluto absolvido

José Saramago

R$ 59,90

Companhia das Letras

Obras completas - José Saramago - volume 1

José Saramago

R$ 199,90

Indisponível

Companhia das Letras

História do cerco de Lisboa

José Saramago

R$ 89,90

Indisponível

Companhia das Letras

Caixa comemorativa - Vinte anos do Nobel de José Saramago

José Saramago Ricardo Viel

R$ 139,90

Companhia das Letras

O conto da ilha desconhecida

José Saramago

R$ 69,90

Ficha Técnica

Título original: Manual de pintura e caligrafia Páginas: 280 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.327 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 29/09/1992
ISBN: 978-85-7164-278-2 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Uma autobiografia, um diário de viagem ao redor de autores e obras, um romance e um tratado. Lançado em 1977, este Manual prenuncia os temas e o vigor que fariam de Saramago um dos mais importantes autores da língua portuguesa.

Manual de pintura e caligrafia é de 1977, anterior, portanto, a obras como Levantado do chão, Memorial do convento, O ano da morte de Ricardo Reis e outras que foram afirmando José Saramago como um dos mais conhecidos escritores da ficção portuguesa contemporânea. O Manual é um romance, embora, como o nome diz, seja também um tratado, no sentido da pedagogia medieval, no bom sentido das obras de Rousseau e no melhor sentido do fingimento pessoano, este de que se faz a arte de imitar o mundo pela pintura, a pintura pela linguagem, a linguagem pelo mundo..."Observo-me a escrever como nunca me observei a pintar, e descubro o que há de fascinante neste ato: na pintura, vem sempre o momento em que o quadro não suporta nem mais uma pincelada (mau ou bom, ela irá torná-lo pior), ao passo que estas linhas podem prolongar-se infinitamente, alinhando parcelas de uma soma que nunca será começada, mas que é, nesse alinhamento, já trabalho perfeito, já obra definitiva porque conhecida. É sobretudo a idéia do prolongamento infinito que me fascina. Poderei escrever sempre, até o final da vida, ao passo que os quadros, fechados em si mesmos, repelem, são eles próprios isolados na sua pele, autoritários, e, também eles, insolentes."

Sobre o autor

Prêmios