Abram alas: 15 livros infantis para brincar no Carnaval

25/02/2022

Vai passar o Carnaval em casa? Ou na praia? No campo? Você é da turma do descanso ou da folia? Se (ainda) não podemos curtir na rua, pulando bem aglomerados com os amigos nos bloquinhos por aí, que tal se divertir com os pequenos sem precisar sair?

Já parou para pensar no quanto de diversão a gente pode experimentar pelas páginas de um livro?

 

Livros também são para brincar

Nem sempre associamos livros à diversão, mas ler é puro prazer – e podemos "brincar os livros" desde que somos bem pequenininhos. "O que eu considero uma boa literatura para bebês é uma literatura que instiga a curiosidade, a investigação, o humor e o convite ao jogo e à brincadeira", diz Aline Abreu, autora de Achou?, delicioso título para bebês que propõe aos leitores um esconde-esconde entre texto e imagem.

Esse tipo de obra, em que o leitor interage com a história, é uma das preferidas dos pequenos. E a brincadeira pode ser também com o objeto livro, que por vezes precisa ser virado, lido ao contrário, chacoalhado (a criatividade aqui é o limite!), manipulado para que a história se complete! 

Os bebês e crianças pequenas também gostam muito de rimas e poesia, porque têm ritmo e musicalidade. Especialmente na primeiríssima infância, a sonoridade das palavras é muito atraente.

Ah, os contos acumulativos e de repetição são outra boa escolha, porque, com eles, o leitor antecipa o que vai acontecer, o que é um prazer para os pequenos.

LEIA MAIS: 6 motivos que fazem as crianças amar os livros de Susanne Strasser

 

Assim como o contrário, ou seja, a subversão da expectativa: de repente, no final, quando a gente espera que a mocinha vai virar uma princesa, ela dá um tchau pro príncipe e vai jogar futebol! Risos e mais risos, confere?

O humor, além de uma ferramenta literária sofisticada, é um convite certeiro ao prazer estético – e a boas gargalhadas e diversão garantida!

LEIA MAIS: Humor na literatura infantil: uma ferramenta sofisticada

 

Abram alas: 15 livros para se divertir

Selecionamos nada menos que 15 títulos infantis que têm ou mais dessas características para contribuir com a imaginação dos pequenos leitores e a folia neste Carnaval:

 

1) Achou?, de Aline Abreu

Neste livro, os leitores vão encontrar muitos tipos de bicho! Tem um tucano muito do sabichão, uma gata dorminhoca, um cachorro meio esquecido e até um pinguim que perde a hora.  

Todos eles estão aguardando que os leitores os encontrem nessas páginas divertidamente ilustradas. E para ajudar os pequenos, basta fazer uma pergunta bem conhecida: achou? 

 

2) Muito cansado e bem acordado, de Susanne Strasser

O porco-espinho, a raposa, o burrico, o pelicano e o jacaré estão todos dormindo, muito cansados... Mas a foca está bem acordada. E ela não quer saber de ficar na cama! E agora. O que os outros dorminhocos vão fazer. 

Este livro, para leitores bem pequenos, torna a hora de dormir um momento mais divertido e gostoso para toda a família.

 

3) A raposa vai de carro, de Susanne Strasser

Uma raposa tremelica feliz pelos pedregulhos, desliza entre as poças e dirige pelas curvas com seu carro. Até que um ratinho se junta a ela, e a raposa nem dá trela. E depois a toupeira, o passarinho e a cobra também pegam carona... Opa! Como essa viagem vai terminar?  

Nesta história cheia de ilustrações vibrantes e ideal para as crianças bem pequenas, uma raposa vai se surpreender com seus passageiros espertos – e arrancar boas risadas dos leitores. 

 

4) Abra com cuidado, de Nick Bromley e Nicola O'Byrne

Algo estranho está acontecendo no conto O patinho feio. Um crocodilo furioso surge de repente e começa a se intrometer na narrativa. As palavras, as frases e as páginas estão em perigo! O patinho vai precisar de toda ajuda possível para salvar a sua história. E você, leitor, terá de entrar em ação! 

O divertido Abra com cuidado – em que um clássico é revirado, rasgado, mastigado – desafia o leitor a desbravá-lo, incentivando-o a enfrentar seus próprios medos.

 

5) O que tem atrás da porta?, de Nicola O'Byrne

O leitor abre o livro e logo se depara com uma página completamente em preto. O que terá acontecido? “Ei! Alguém pode me ouvir? Se você estiver aí, bata palmas para acender a luz!” Assim começa O que tem atrás da porta?, obra interativa e divertida da autora e ilustradora Nicola O’Byrne. Aqui, o leitor é chamado a interagir o tempo todo para ajudar um crocodilo a voltar para a casa. 

O crocodilo, no caso, é o Caco, aquele que já conhecemos do livro Abra com cuidado. A cada porta aberta, precisamos ajudar Caco a passar e ainda descobrir onde ele vai parar – e onde ele mora. Será que é no calor da praia? No frio da Antártica? No deserto? Será?

 

6) A princesa e o gigante, de Caryl Hart

Em uma vila muito alegre, com árvores magníficas e jardins coloridos, vivia uma princesa irreverente. Seu mordomo? Um ratinho! Sua ajudante? Uma gata. Seu pai? Cozinhava. E a mãe? Lenhas cortava. No quintal, um pé de feijão. E, no alto dele, o que havia? Hum, isso você já deve imaginar: um gigante resmungão! 

A princesa Sofia não conseguia dormir, e tudo porque o gigante mal-humorado ficava marchando para lá e para cá a noite inteira. Mas, ao ler seu livro preferido de contos de fadas, ela logo teve uma ideia genial.

 

7) O caso do grande roubo do museu, de Milton Célio de Oliveira Filho e Alexandre Rampazo

O urubu está aflito: ele dirige o Museu da Mata, e o quadro mais valioso do acervo sumiu! Ele chama então Dona Aranha, especialista em tramas, para decifrar o mistério. Assim começa O caso do grande roubo do museu, novo livro de Milton Célio de Oliveira Filho. Como em outros “casos” do autor, neste o leitor também é convidado a desvendar o sumiço: cada bicho interrogado pela Dona Aranha deixa uma pista de qual será o próximo animal suspeito. 

Além das rimas, as ilustrações potentes do premiado ilustrador Alexandre Rampazo dão dicas do que vamos encontrar ao virar a página. Quem será que vai descobrir o paradeiro da obra? E que outra surpresa esse quadro pode revelar?

 

8) Todas as pessoas contam, de Kristin Roskifte

Uma pessoa deitada, olhando para as estrelas, duas pessoas conversando em uma floresta, três pessoas em um pódio, quatro pessoas tocando em uma banda... Neste livro, a cada página virada o leitor vai conhecer mais e mais pessoas: 100, 1000... até 7,5 bilhões! Mas esta não é uma história apenas sobre números. É também sobre todas essas pessoas, e sobre as suas diferenças e semelhanças. 

Depois de observá-las nos mais diversos cenários da mesma cidade, o leitor vai perceber como cada uma tem seus hábitos, interesses, tristezas, segredos... E como suas vidas se misturam – e se somam. Afinal, o que seria das pessoas umas sem as outrass Todas as pessoas contam, e você também! 

 

9) Uma planta muito faminta, de Renato Moriconi

Num certo dia de sol, uma planta carnívora nasceu. Ela era pequena e delicada, e estava com muita fome. Então passou a engolir todo tipo de criatura: lagarta, borboleta, coelho, vaca paraquedista, mamute voador... Quanto mais a planta comia, maior ficava, e nada nem ninguém parecia capaz de detê-la. Será mesmo?

Neste livro ilustrado, o artista Renato Moriconi cria uma planta tão cheia de fome quanto a lagarta de Eric Carle, com uma narrativa visual que vai fisgar os pequenos leitores.  

 

 

10) Hoje eu vou voar, de Mo Willems

A Porquinha só quer saber de uma coisa: voar. Ela faz de tudo para alcançar as alturas, e Geraldo acompanha as tentativas frustradas de sua melhor amiga sem saber o que fazer. Até que uma ajuda inesperada aparece e a Porquinha chega aos céus... Será que a moda vai pegar e Geraldo vai querer voar também?

Nesta história cheia de ilustrações divertidas e ideal para leitores iniciantes, encontramos uma dupla carismática de amigos que não abandona o outro nem mesmo nos momentos mais inusitados. 

 

11) Zoom, de Istvan Banyai

Este livro provocante, sem palavras, pode ser "lido" tanto de trás para frente como de frente para trás. Suas ilustrações dão a ilusão de que o leitor se afasta rapidamente de cada página.

Ganhador do prêmio de melhor livro de imagem FNLIJ.

 

12) Olhe pela janela, de Katerina Gorelik

Divertida e cheia de surpresas, esta obra é para aquelas pessoas curiosas que sempre querem saber um pouco mais. A premiada autora e ilustradora Katerina Gorelik usa de todos os artifícios para brincar com a imaginação e a percepção dos leitores, mostrando que há não apenas uma, mas várias maneiras de enxergar as coisas à nossa volta. 

Logo no início vemos a fachada de uma casa e, de sua janela, o perfil de uma simpática senhora. Passando a página, porém, percebemos que na verdade trata-se da casa de uma bruxa apavorante que prepara uma poção para transformar seus convidados em ratos e baratas! A cada virada de página há uma casa diferente com moradores mais diferentes ainda. E só uma única certeza: nada é o que parece ser.

LEIA MAIS: Olhe pela janela brinca com a expectativa do leitor a cada virada de página

 

13) Vida em Marte, de Jon Agee

Um jovem astronauta tem certeza de que é possível encontrar vida em Marte e, para provar sua teoria, parte destemidamente em uma missão solitária. Só que, quando ele chega lá, equipado com um pacote de cupcakes de presente, não vê nada além de um planeta quase estéril. Finalmente, ele avista uma única flor e a embala para levá-la de volta à Terra. 

Mas, após decolar com sua nave a caminho de casa – que surpresa! –, alguém comeu todos os seus cupcakes. Os leitores vão se divertir acompanhando esta expedição junto com o marciano que esteve ali o tempo todo sem ser notado pelo distraído astronauta.

 

14) Os vizinhos, de Einat Tsarfati

Enquanto sobe os andares do seu prédio, uma menina imagina o que está por trás das portas dos apartamentos de seus vizinhos. Será que a porta cheia de fechaduras pertence a uma família de saqueadores? E a porta com pegadas cheias de lama, pode esconder um tigre de estimação? Ela não sabe, mas a coisa mais incrível talvez esteja em sua própria casa.

Uma deliciosa viagem que, a cada página, apresenta um novo mundo de detalhes exuberantes e surpresas revelados nos desenhos vibrantes criados com singular delicadeza pela autora e ilustradora israelense Einat Tsarfati.

 

15) A queda dos Moais, de Blandina Franco, Patricia Auerbach e José Carlos Lollo

Finalmente as férias chegaram, e Joaquim pode se divertir. Acontece que seus pais decidiram levar a família para conhecer a Ilha de Páscoa e, segundo o garoto, não há nada ali, além do fato de a grande atração do local ter caído de cara no chão. 

Assim começa a saga do clube PaSNo – Pais Sem Noção – uma hilária e curiosa viagem pelo mundo dos moais e pelas mais diversas formas de escrita. Em uma narrativa ficcional que percorre 29 tipos de texto, A queda dos moais trata, principalmente, de grandes momentos compartilhados com quem mais amamos, da perspectiva de um pré-adolescente.

Compartilhe:

Veja também