Home | Livros | Companhia das Letras | MIL ANOS DE ALEGRIAS E TRISTEZAS
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

MIL ANOS DE ALEGRIAS E TRISTEZAS

Memórias

Ai Weiwei
Tradução: Camilo Adorno

R$ 99,90

/ À vista

Apresentação

Aclamado como um dos mais célebres artistas em atividade e uma voz insilenciável da liberdade, Ai Weiwei traz nestas memórias um relato íntimo e arrebatador sobre família, resistência, política e -- como um amálgama de todos esses -- arte.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Mil anos de alegrias e tristezas

Ai Weiwei

R$ 99,90

Alfaguara

Abandonar um gato

Haruki Murakami

R$ 84,90

Zahar

O último abraço da matriarca

Frans de Waal

R$ 99,90

Preço total de

R$ 284,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

A vida descalço

Alan Pauls

R$ 69,90

Companhia das Letras

Mário e o mágico

Thomas Mann

R$ 69,90

Alfaguara

A travessia (Nova edição)

Cormac McCarthy

R$ 99,90

Alfaguara

Sashenka (Nova edição)

Simon Sebag Montefiore

R$ 119,90

Penguin-Companhia

Evguiêni Oniéguin

Aleksandr Púchkin

R$ 54,90

Zahar

A psicose

Neusa Santos Souza

R$ 74,90

Indisponível

Companhia das Letras

Nosso corpo, seu campo de batalha

Christina Lamb

R$ 114,90

Companhia das Letras

Memória e sociedade: Lembranças de velhos (Nova edição)

Ecléa Bosi

R$ 99,90

Ficha Técnica

Título original: Ai weiwei memoir Páginas: 384 Formato: 16.00 X 23.00 cm Peso: 0.303 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 03/02/2023
ISBN: 978-65-5921-379-5 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Aclamado como um dos mais célebres artistas em atividade e uma voz insilenciável da liberdade, Ai Weiwei traz nestas memórias um relato íntimo e arrebatador sobre família, resistência, política e -- como um amálgama de todos esses -- arte.

A infância de Ai Weiwei foi permeada por restrições. Nascido na China na década de 1950, ele foi compulsoriamente exilado com a família após seu pai, Ai Qing, um dos mais renomados poetas chineses, tecer críticas ao governo de Mao Tsé-Tung. Tachado de reacionário durante a Revolução Cultural, ele e os filhos foram banidos para a "Pequena Sibéria" -- região desértica onde, segundo o autor, a privação material trouxe uma diferente forma de plenitude, modelando o que viria a ser seu futuro.
A liberdade era seu principal objetivo. Tomando a difícil decisão de deixar pai e irmão na China e sair do país, Ai Weiwei foi para os Estados Unidos, país em que teve contato com a obra de Andy Warhol, fez amizade com Allen Ginsberg e se tornou célebre no mundo da arte ao reconstruir em seu trabalho a experiência de viver sob um regime totalitário.
As esculturas e instalações de Ai Weiwei foram vistas por milhões de pessoas em todo o mundo -- a exemplo da projeção do icônico Ninho do Pássaro, estádio olímpico de Beijing. Seu ativismo político o tornou alvo das autoridades chinesas, o que culminou em meses de detenção secreta sem acusação em 2011. Neste livro, pela primeira vez, Ai Weiwei explora as origens de sua criatividade excepcional.
Ao mesmo tempo ambicioso e íntimo, Mil anos de alegrias e tristezas oferece uma compreensão profunda das inúmeras forças que moldaram a China moderna -- e ao  próprio autor -- além de servir como um lembrete oportuno da urgência de defender a liberdade.


"Este é o tipo mais raro de memória, que se eleva acima do arco da história para alcançar os limites da alma. O trabalho de Ai é uma prova notável do poder eterno da mais simples e ousada verdade." -- Edward Snowden

Sobre o autor