Home | Livros | Companhia das Letras | A VIDA DESCALÇO
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

A VIDA DESCALÇO

Alan Pauls
Tradução: Josely Vianna Baptista

R$ 69,90

/ À vista

Apresentação

Nesta mescla magnética de ensaio e memória, o autor argentino faz da praia o lugar da disponibilidade, dos encontros, do ócio, espaço-chave na vida moderna; experiência íntima e estereótipo, utopia selvagem e palco daquilo que chamamos de civilização.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

A vida descalço

Alan Pauls

R$ 69,90

Companhia das Letras

Ideologias

Gabriela Prioli

R$ 59,90

Companhia das Letras

Sunset park

Paul Auster

R$ 74,90

Preço total de

R$ 204,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Mário e o mágico

Thomas Mann

R$ 69,90

Alfaguara

A travessia (Nova edição)

Cormac McCarthy

R$ 99,90

Penguin-Companhia

Evguiêni Oniéguin

Aleksandr Púchkin

R$ 54,90

Alfaguara

Sashenka (Nova edição)

Simon Sebag Montefiore

R$ 119,90

Penguin-Companhia

Essencial Sérgio Buarque de Holanda

Sérgio Buarque de Holanda

R$ 69,90

Companhia das Letras

Mil anos de alegrias e tristezas

Ai Weiwei

R$ 99,90

Companhia das Letras

Nosso corpo, seu campo de batalha

Christina Lamb

R$ 114,90

Companhia das Letras

Memória e sociedade: Lembranças de velhos (Nova edição)

Ecléa Bosi

R$ 99,90

Companhia das Letras

Mais uma vez, Olive

Elizabeth Strout

R$ 94,90

Ficha Técnica

Título original: La vida descalzo Páginas: 104 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.096 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 10/02/2023
ISBN: 978-65-5921-393-1 Selo: Companhia das Letras Capa: Violaine Cadinot Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Nesta mescla magnética de ensaio e memória, o autor argentino faz da praia o lugar da disponibilidade, dos encontros, do ócio, espaço-chave na vida moderna; experiência íntima e estereótipo, utopia selvagem e palco daquilo que chamamos de civilização.

"Nós, os que vamos à praia, vamos sempre mais ou menos atrás da mesma coisa: das marcas do que o mundo era antes que a mão do homem decidisse reescrevê-lo." É dessa maneira que o narrador de A vida descalço avança, em uma deriva que o levará da memória à história social, do ensaio cultural a tudo aquilo que jaz sob a areia da praia, esse lugar "franco, transparente, aberto ao céu 'como uma boca ou uma ferida'". Desafiando os lugares-comuns tanto do pensamento como do prazer, Alan Pauls nos apresenta a praia como ambiente da imaginação. Entre hordas turísticas e a areia deserta, os enigmas da praia se veem auscultados ao contrário: a beira-mar como lente de aumento para investigar a vida civil, a superprodução de sonhos ("sonha-se muito na praia"), a utopia política, os corpos bronzeados, e o verão como invenção midiática. Fenomenologia íntima e paródia do intelectual em férias, este livro nos conduz à praia da infância do narrador -- o litoral de Villa Gesell, ao sul de Buenos Aires, onde por mais de quinze anos o autor passou suas férias de verão --, às ficções estivais de François Ozon e Eric Rohmer, às areias do Rio de Janeiro dos anos 70, às fantasias ascéticas da antipraia invernal. De shorts e havaianas, "com a pele branca de sal e os ombros em processo avançado de descascamento", o narrador nos mistura ao balneário, ao calor, e faz deste livro um dos grandes triunfos daquele que, nas palavras do autor chileno Alejandro Zambra, é "um dos escritores imprescindíveis da atual literatura latino-americana".


"Ao iluminar as dunas impensadas dos espaços onde imaginamos a liberdade, A vida descalço nos coloca diante de um relato onde a fineza especulativa, o humor rasante e o descobrimento inusual do que está próximo brilham como nunca na elegante música que faz de Alan Pauls um dos príncipes mais distintos da literatura em língua espanhola." -- Pola Oloixarac


"Nem sempre um garoto que passa as férias de verão perto do mar encontra consolo num adulto que escreve. A sucessão de imagens e cenas da praia nos ajudam a encontrar uma solução a este elegante enigma." -- Luis Chitarroni

Sobre o autor