Home | Livros | Companhia das Letras | 1680-1720
CLIQUE PARA AMPLIAR

Apresentação

Estudando a passagem do século XVII para o XVIII, as autoras mostram como a descoberta do ouro e o perigo de invasões estrangeiras, entre outros fatores, contribuíram para mudar a política imperial portuguesa e secularizar a noção de "império", antes permeada de um ideal messiânico.

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

1789-1808

Luiz Carlos Villalta

R$ 47,90

Indisponível

Companhia das Letras

A corrida para o século XXI

Nicolau Sevcenko

R$ 64,90

Companhia das Letras

1580-1600

Jacqueline Hermann

R$ 49,90

Indisponível

Companhia das Letras

A passagem do século

Serge Gruzinski

R$ 44,90

Indisponível

Companhia das Letras

O ano 1000

Hilário Franco Júnior

R$ 39,90

Indisponível

Companhia das Letras

O diabo e a terra de santa cruz

Laura de Mello e Souza

R$ 94,90

Indisponível

Companhia das Letras

Inferno atlântico

Laura de Mello e Souza

R$ 54,90

Indisponível

Companhia das Letras

Cláudio Manuel da Costa

Laura de Mello e Souza

R$ 79,90

Companhia das Letras

O Jardim das Hespérides

Laura de Mello e Souza

R$ 89,90

Companhia de Bolso

História da Vida Privada no Brasil - Vol.1 (Edição de bolso)

Fernando A. Novais Laura de Mello e Souza

R$ 64,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: 1680-1720 - O império deste mundo Páginas: 128 Formato: 13.00 X 21.00 cm Peso: 0.18 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 22/05/2000
ISBN: 978-85-3590-005-7 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Estudando a passagem do século XVII para o XVIII, as autoras mostram como a descoberta do ouro e o perigo de invasões estrangeiras, entre outros fatores, contribuíram para mudar a política imperial portuguesa e secularizar a noção de "império", antes permeada de um ideal messiânico.

Após a morte do padre Antônio Vieira, ocorrida nos últimos anos do século XVII, a concepção religiosa de Império praticamente desapareceria dos círculos onde se desenhava a política do mundo português. O Império surgido na virada do século XVII para o XVIII era um império leigo, assentado em riquezas concretas, capazes de excitar cobiças de várias naturezas. A descoberta do ouro, a obstinação dos franceses em se estabelecer na América portuguesa, invadindo por duas vezes a cidade do Rio de Janeiro, e as revoltas de caráter variado que se multiplicaram nas zonas de colonização entre 1709 e 1720 mostravam que, se a terra era rica, havia perigos a ameaçá-la tanto de fora como de dentro. Para preservá-la, os portugueses precisavam rever suas formas de atuação nas paragens que os documentos oficiais já chamavam de Brasil. Há muito a historiografia brasileira vê o final do século XVIII sob o signo da crise. O império deste mundo mostra como o início do século também foi um período tenso e conflituoso, impondo reformulações decisivas - particularmente que Portugal repensasse o sentido do Império.

Sobre o autor