Home | Livros | Companhia das Letras | A ÉTICA PROTESTANTE E O ''ESPÍRITO'' DO CAPITALISMO
CLIQUE PARA AMPLIAR

A ÉTICA PROTESTANTE E O ''ESPÍRITO'' DO CAPITALISMO

Max Weber
Tradução: José Marcos Mariani de Macedo

R$ 79,90

/ À vista

Apresentação

Edição comemorativa de um dos grandes clássicos da sociologia. Publicado em 1904, A ética protestante e o "espírito" do capitalismo ganha nova tradução brasileira, em edição que marca o centenário do estudo. A edição recupera a versão original do ensaio e a apresenta em conjunto com o texto de 1920, revisto e ampliado pelo próprio Max Weber.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

A ética protestante e o ''espírito'' do capitalismo

Max Weber

R$ 79,90

Companhia das Letras

A invenção dos direitos humanos

Lynn Hunt

R$ 79,90

Companhia das Letras

O avesso da pele - Vencedor Jabuti 2021

Jeferson Tenório

R$ 74,90

Preço total de

R$ 234,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Formação do Brasil contemporâneo

Prado Jr., Caio

R$ 94,90

Companhia das Letras

Pequeno manual antirracista

Djamila Ribeiro

R$ 44,90

Companhia das Letras

O avesso da pele - Vencedor Jabuti 2021

Jeferson Tenório

R$ 74,90

Zahar

Por um feminismo afro-latino-americano

Lélia Gonzalez

R$ 79,90

Companhia das Letras

A invenção dos direitos humanos

Lynn Hunt

R$ 79,90

Companhia das Letras

Sobre o autoritarismo brasileiro

Lilia Moritz Schwarcz

R$ 79,90

Companhia de Bolso

Origens do totalitarismo

Hannah Arendt

R$ 79,90

Companhia das Letras

Sejamos todos feministas

Chimamanda Ngozi Adichie

R$ 44,90

Ficha Técnica

Título original: Die protestantische Ethik und der Geist des Kapitalismus Páginas: 336 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.427 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 29/03/2004
ISBN: 978-85-3590-470-3 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Edição comemorativa de um dos grandes clássicos da sociologia. Publicado em 1904, A ética protestante e o "espírito" do capitalismo ganha nova tradução brasileira, em edição que marca o centenário do estudo. A edição recupera a versão original do ensaio e a apresenta em conjunto com o texto de 1920, revisto e ampliado pelo próprio Max Weber.

A ética protestante e o "espírito" do capitalismo, ensaio clássico de Max Weber (1864-1920) sobre a ética puritana e a cultura capitalista moderna, foi publicado nos anos de 1904 e 1905, na revista alemã Archiv für Sozialwissenschaft. Uma segunda versão apareceria em 1920, ampliada e revista pelo próprio autor, que adicionou passagens ao ensaio, aprimorou conceitos e formulou outros - como os de desencantamento do mundo e ação racional -, fez ajustes terminológicos e incluiu numerosas notas de rodapé.
Esta edição reúne num só texto as duas versões do livro de Weber: o ensaio original de 1904 e os acréscimos de 1920. A identidade dos dois textos é preservada: as passagens da segunda versão são destacadas entre colchetes, permitindo uma nova leitura àqueles que já conhecem o estudo e uma leitura completa aos que têm o primeiro contato com ele. A nova tradução (feita do alemão), promove, assim, a retomada crítica da versão original ao aliá-la à versão definitiva, feita na plena maturidade intelectual e pessoal do autor.
O estudo analisa a gênese da cultura capitalista moderna e sua relação com a religiosidade puritana adotada por igrejas e seitas protestantes dos séculos XVI e XVII: a partir de observações estatísticas, Weber constatou que os protestantes de sua época eram, de um modo geral, mais bem-sucedidos nos negócios do que os católicos. Os últimos ajustes ao estudo foram feitos no ano da morte do autor, quando o texto passou a fazer parte dos Ensaios reunidos de sociologia da religião.

Antônio Flávio Pierucci, professor do departamento de sociologia da USP que há doze anos se dedica ao estudo da obra de Weber, é o autor da introdução ao volume, responsável pela edição e pelo acompanhamento técnico do texto traduzido. Elaborou também um glossário, uma tábua de correspondência vocabular, uma cronologia da vida e da obra de Weber e um farto índice remissivo.

Sobre o autor