Home | Livros | Companhia das Letras | FAMA E ANONIMATO
CLIQUE PARA AMPLIAR

FAMA E ANONIMATO

Gay Talese
Tradução: Luciano Vieira Machado

R$ 109,90

/ À vista
ou em até 2x no crédito de R$ 54,95

Apresentação

Textos que imprimem um retrato agudo do universo urbano de Nova York. Nas reportagens reunidas nesta antologia, o consagrado repórter americano ajudou a criar o "novo jornalismo". Publicado no Brasil em 1973 com o título de Aos olhos da multidão, o livro se tornou referência entre jornalistas e escritores. A edição inclui duas reportagens inéditas.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Fama e anonimato

Gay Talese

R$ 109,90

Companhia das Letras

Honra teu pai

Gay Talese

R$ 94,90

Alfaguara

Vida e destino

Vassili Grossman

R$ 130,41

Preço total de

R$ 335,21

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Honra teu pai

Gay Talese

R$ 94,90

Indisponível

Companhia das Letras

A mulher do próximo

Gay Talese

R$ 94,90

Companhia das Letras

O reino e o poder

Gay Talese

R$ 94,90

Indisponível

Companhia das Letras

Vida de escritor

Gay Talese

R$ 94,90

Indisponível

Companhia das Letras

Dentro da floresta

David Remnick

R$ 99,90

Companhia das Letras

O segredo de Joe Gould

Joseph Mitchell

R$ 39,90

Indisponível

Companhia das Letras

A feijoada que derrubou o governo

Joel Silveira

R$ 69,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Fame and obscurity Páginas: 536 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.656 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 20/04/2004
ISBN: 978-85-3590-489-5 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Textos que imprimem um retrato agudo do universo urbano de Nova York. Nas reportagens reunidas nesta antologia, o consagrado repórter americano ajudou a criar o "novo jornalismo". Publicado no Brasil em 1973 com o título de Aos olhos da multidão, o livro se tornou referência entre jornalistas e escritores. A edição inclui duas reportagens inéditas.

No início dos anos 60, o repórter Gay Talese saiu pela ruas de Nova York e descobriu uma segunda Estátua da Liberdade, cuja única função seria confundir os desavisados. Constatou também que os nova-iorquinos piscavam em média 28 vezes por segundo; que sob chuva o movimento do comércio caía de 15% a 20%, mas menos gente se matava nesses dias; que um mergulhador ganhava a vida recuperando objetos perdidos no fundo da baía de Nova York; que as prostitutas promoviam anualmente um baile em homenagem aos cafetães da cidade, e que as faxineiras do Empire State encontravam mais ou menos 5 mil dólares por ano nas 3 mil salas do edifício.
Fama e anonimato está repleto de informações assim: aparentemente inúteis, mas que, nas mãos de um escritor de primeira categoria, imprimem a textura real da cidade e o rosto de seus habitantes. Nas três séries de reportagens reunidas neste livro - a primeira, sobre o estranho universo urbano que é Nova York; a segunda, sobre a saga da construção da ponte Verrazzano-Narrows, e a terceira, sobre artistas e esportistas americanos -, Talese abriu a picada do que mais tarde seria batizado de "novo jornalismo" ou jornalismo literário, um tipo de reportagem que alia um texto de alta qualidade a um olhar que foge aos lugares-comuns.
Foi esse espírito de observação que levou Gay Talese a escrever um perfil considerado exemplar pela leveza e audácia com que foi feito: "Frank Sinatra está resfriado". Nesse texto, incluído na terceira parte do livro, o repórter faz um retrato certeiro do cantor, sem que tenha conseguido entrevistá-lo.
Publicado no Brasil pela primeira vez em 1973, sob o título Aos olhos da multidão, o livro se tornou uma raridade disputada em sebos. Esta nova edição traz dois textos inéditos em livro, que narram a feitura do perfil de Sinatra e das matérias sobre a ponte Verrazzano-Narrows, além de um posfácio do jornalista Humberto Werneck.

Sobre o autor