Home | Livros | Companhia das Letras | A SANGUE FRIO
CLIQUE PARA AMPLIAR

A SANGUE FRIO

Truman Capote
Tradução: Sergio Flaksman

R$ 94,90

/ À vista

Apresentação

Fruto de uma intensa investigação, feita ao longo de meses, A sangue frio é um dos livros que fundaram o jornalismo literário, gênero que combina a objetividade factual e os recursos da narrativa de ficção. O clássico de Truman Capote conta a história da brutal chacina da família Clutter e dos autores do crime, executados em 1965.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

A sangue frio

Truman Capote

R$ 94,90

Alfaguara

Meridiano de sangue (Nova edição)

Cormac McCarthy

R$ 89,90

Alfaguara

Vida e destino

Vassili Grossman

R$ 144,90

Preço total de

R$ 329,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Alfaguara

Meridiano de sangue (Nova edição)

Cormac McCarthy

R$ 89,90

Alfaguara

Vida e destino

Vassili Grossman

R$ 144,90

Companhia das Letras

Fama e anonimato

Gay Talese

R$ 109,90

Companhia das Letras

Grande sertão: veredas

João Guimarães Rosa

R$ 94,41

Companhia das Letras

Contos de horror do século XIX

Vários autores

R$ 89,90

Ficha Técnica

Título original: In cold blood Páginas: 440 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.543 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 16/09/2003
ISBN: 978-85-3590-411-6 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Fruto de uma intensa investigação, feita ao longo de meses, A sangue frio é um dos livros que fundaram o jornalismo literário, gênero que combina a objetividade factual e os recursos da narrativa de ficção. O clássico de Truman Capote conta a história da brutal chacina da família Clutter e dos autores do crime, executados em 1965.

O americano Truman Capote foi um escritor versátil: produziu textos de qualidade em vários gêneros (contos, peças, reportagens, adaptações para TV e roteiros para filmes). Mas sua grande obra foi o romance-reportagem A sangue frio, que conta a história da morte de toda a família Clutter, em Holcomb, Kansas, e dos autores da chacina.
Capote decidiu escrever sobre o assunto ao ler no jornal a notícia do assassinato da família, em 1959. Quase seis anos depois, em 1965, a história foi publicada em quatro partes na revista The New Yorker. Além de narrar o extermínio do fazendeiro Herbert Clutter, de sua esposa Bonnie e dos filhos Nancy e Kenyon - uma típica família americana dos anos 50, pacata e integrada à comunidade -, o livro reconstitui a trajetória dos assassinos. Perry Smith e Dick Hikcock planejaram o crime acreditando que se apropriariam de uma fortuna, mas não encontraram praticamente nada.
Perry era um sonhador. Teve criação conturbada e violenta, e achava que a vida lhe tinha dado golpes injustos. Dick, considerado o cérebro da dupla, queria apenas arrebatar o dinheiro e desaparecer. Presos e condenados, ambos morreram na forca em 1965.
Publicado no mesmo ano da execução dos assassinos, A sangue frio rapidamente se tornou um sucesso de crítica e vendas, rendendo alguns milhões de dólares ao autor. A intensa relação que Capote estabeleceu com suas fontes foi determinante para o êxito da obra. Além de passar mais de um ano na região de Holcomb, investigando e conversando com moradores, ele se aproximou dos criminosos e conquistou sua confiança. Traçou um perfil humano e eloqüente dos dois "meninos", como costumava chamá-los.
Por seu estilo que combina a precisão factual com a força emotiva da criação artística - um romance de não-ficção, nas palavras do próprio autor -, A sangue frio é um marco na história do jornalismo e da literatura dos Estados Unidos. Reflexão sutil sobre as ambigüidades do sistema judicial do país, o texto desvenda o lado obscuro do sonho americano.

Sobre o autor