Home | Livros | Companhia de Bolso | O CAVALEIRO INEXISTENTE
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O CAVALEIRO INEXISTENTE

Italo Calvino
Tradução: Nilson Moulin

R$ 47,90

/ À vista

Apresentação

Paródia dos romances de cavalaria, a história do cavaleiro inexistente da corte de Carlos Magno. Cercado por um exército quixotesco, ele luta pela causa da cristandade, defende avidamente sua reputação e faz questão de manter a armadura sempre limpa. Mesmo sabendo que dentro dela não há ninguém.

Frequentemente comprados juntos

Companhia de Bolso

O cavaleiro inexistente

Italo Calvino

R$ 47,90

Companhia de Bolso

O visconde partido ao meio

Italo Calvino

R$ 44,90

Companhia de Bolso

O barão nas árvores

Italo Calvino

R$ 44,90

Preço total de

R$ 137,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia de Bolso

O visconde partido ao meio

Italo Calvino

R$ 44,90

Companhia de Bolso

O barão nas árvores

Italo Calvino

R$ 44,90

Companhia de Bolso

Os nossos antepassados

Italo Calvino

R$ 49,90

Companhia das Letras

As cidades invisíveis

Italo Calvino

R$ 62,90

Companhia de Bolso

Por que ler os clássicos

Italo Calvino

R$ 52,90

Companhia das Letras

Se um viajante numa noite de inverno

Italo Calvino

R$ 72,90

Companhia de Bolso

Os amores difíceis

Italo Calvino

R$ 44,90

Companhia de Bolso

Fábulas italianas

Italo Calvino

R$ 52,90

Companhia das Letras

As cidades invisíveis

Italo Calvino

R$ 99,90

Indisponível

Companhia das Letras

Coleção de areia

Italo Calvino

R$ 62,90

Companhia das Letras

A especulação imobiliária

Italo Calvino

R$ 54,90

Ficha Técnica

Título original: Il cavaliere inesistente (pocket) Páginas: 120 Formato: 12.50 X 18.00 cm Peso: 0.105 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 14/07/2005
ISBN: 978-85-3590-679-0 Selo: Companhia de Bolso Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Paródia dos romances de cavalaria, a história do cavaleiro inexistente da corte de Carlos Magno. Cercado por um exército quixotesco, ele luta pela causa da cristandade, defende avidamente sua reputação e faz questão de manter a armadura sempre limpa. Mesmo sabendo que dentro dela não há ninguém.

Nessa espécie de romance de cavalaria às avessas, Italo Calvino põe em marcha toda a sua habilidade construtiva e capacidade alegórica, mas também a sua verve humorística, para contar as aventuras e desventuras de Agilulfo Emo Bertrandino dos Guildiverni e dos Altri de Corbentraz e Sura, o cavaleiro inexistente da corte de Carlos Magno. Circundado por uma galeria de personagens que compõem um verdadeiro exército brancaleônico, Agilulfo serve com fé a causa da cristandade. De permeio, tem de lidar com uma querela em torno de sua nobre reputação, espelhada na armadura trazida sempre imaculadamente alva, embora paradoxalmente vazia. Como nos demais romances da trilogia Nossos antepassados, Calvino mergulha nos tempos heróicos da cavalaria medieval, vistos aqui em chave burlesca, utilizando como narrador uma freira confinada no convento, cuja penitência é justamente escrever a história desse cavaleiro sui generis.