Home | Livros | Companhia das Letras | HOMEM COMUM
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

HOMEM COMUM

Philip Roth
Tradução: Paulo Henriques Britto

R$ 57,90

/ À vista

Apresentação

Um romance breve e incisivo sobre o encontro inevitável do homem com a morte.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Homem comum

Philip Roth

R$ 57,90

Companhia das Letras

O complexo de Portnoy

Philip Roth

R$ 72,90

Companhia das Letras

Casei com um comunista

Philip Roth

R$ 82,90

Preço total de

R$ 213,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O complexo de Portnoy

Philip Roth

R$ 72,90

Companhia das Letras

Casei com um comunista

Philip Roth

R$ 82,90

Companhia das Letras

Fantasma sai de cena

Philip Roth

R$ 62,90

Companhia das Letras

O professor do desejo

Philip Roth

R$ 62,90

Indisponível

Companhia das Letras

O teatro de Sabbath

Philip Roth

R$ 87,90

Companhia das Letras

Quando ela era boa

Philip Roth

R$ 72,90

Companhia das Letras

Pastoral americana

Philip Roth

R$ 82,90

Companhia das Letras

O animal agonizante

Philip Roth

R$ 49,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Everyman Páginas: 136 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.202 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 11/09/2007
ISBN: 978-85-3591-087-2 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um romance breve e incisivo sobre o encontro inevitável do homem com a morte.

Numa narrativa direta, íntima e ao mesmo tempo universal, Philip Roth explora o tema da perda, do arrependimento e do estoicismo. O autor de Complô contra a América, que relatava o encontro angustiante de uma família com a história, agora volta sua atenção para a luta de um homem contra a mortalidade, conflito que dura sua vida inteira. Acompanhamos o destino do homem comum de Roth a partir de seu primeiro confronto com a morte, nas praias idílicas dos verões da infância, passando pelos conflitos familiares e pelas realizações profissionais da idade adulta, até a velhice, quando ele fica dilacerado ao constatar a deterioração de seus contemporâneos e dele próprio, atormentado por uma série de males físicos. Artista comercial de sucesso, trabalhando numa agência publicitária em Nova York, ele tem dois filhos do primeiro casamento, que o desprezam, e uma filha do segundo casamento, que o adora. É amado pelo irmão, um homem bom cuja saúde perfeita termina por despertar sua inveja rancorosa, e é também o ex-marido solitário de três mulheres muito diferentes, tendo ele próprio destroçado os três casamentos. No final, é um homem que se transformou naquilo que não quer ser. O título original da obra, Everyman (literalmente, "Todo homem"), é também o nome de uma peça alegórica do século XV, um clássico da dramaturgia inglesa, cujo tema é a chegada da morte ao mundo dos vivos.

Sobre o autor