Home | Livros | Companhia das Letras | NO TEU DESERTO
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

NO TEU DESERTO

Miguel Sousa Tavares

R$ 54,90

/ À vista

Apresentação

Neste breve e intenso romance, o narrador faz um acerto de contas com as lembranças de um amor de juventude, marcado por descoberta, aventura e cumplicidade.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

No teu deserto

Miguel Sousa Tavares

R$ 54,90

Companhia das Letras

Rio das flores

Miguel Sousa Tavares

R$ 77,90

Companhia das Letras

Olhai os lírios do campo

Erico Verissimo

R$ 64,90

Preço total de

R$ 197,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Olhai os lírios do campo

Erico Verissimo

R$ 64,90

Companhia das Letras

Ficando longe do fato de já estar meio que longe de tudo

David Foster Wallace

R$ 67,90

Indisponível

Companhia das Letras

Tóquio proibida

Jake Adelstein

R$ 77,90

Indisponível

Companhia das Letras

Um enigma chamado Brasil

André Botelho Lilia Moritz Schwarcz

R$ 87,90

Indisponível

Companhia das Letras

As pessoas em primeiro lugar

Amartya Sen Bernardo Kliksberg

R$ 87,90

Ficha Técnica

Título original: No teu deserto Páginas: 128 Formato: 16.00 X 23.00 cm Peso: 0.242 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 09/09/2009
ISBN: 978-85-3591-534-1 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Neste breve e intenso romance, o narrador faz um acerto de contas com as lembranças de um amor de juventude, marcado por descoberta, aventura e cumplicidade.

Um jornalista relembra uma travessia do deserto do Saara feita com uma garota quinze anos mais jovem. Durante quarenta dias, o narrador e Cláudia atravessaram as paisagens áridas do continente africano e viveram uma experiência marcante, que vai se projetar por muito tempo na vida de ambos. A viagem aconteceu em 1987 e o narrador se põe a contar a história vinte anos depois.
Ele é racional e impetuoso. Ela, impulsiva e imatura, mas também espontânea e encantadora. Eles partem de Lisboa num jipe abastecido de comida enlatada, alguma bebida alcoólica, uma bússola e um mapa militar dos anos 1950. Os demais integrantes da excursão (mais uma dezena de jipes) vão pelo Marrocos, mas o casal entra no continente africano pela Argélia, pois dependem de uma licença de filmagem expedida em Argel. O jornalista capta imagens que usará em reportagens para revistas e uma televisão portuguesas.
A princípio marcada pela distância, a relação entre os dois aventureiros se intensifica ao longo da viagem na luta contra o tempo, no enfrentamento da burocracia e da corrupção argelina, na confusão das cidades africanas e no dia a dia de acampamento e improvisos. A intimidade avança para um sentimento amoroso, que nasce da cumplicidade naquela situação adversa: solidão, viagem, silêncio, paisagens inóspitas.
Vinte anos depois o narrador descobre casualmente que a moça morreu e decide contar a história desse amor para, de alguma forma, reter a felicidade desse encontro na memória. O romance é um acerto de contas emocionado desse jornalista-narrador para com a memória de Cláudia, de quem ele guarda poucas fotografias, mas numerosas e intensas lembranças.

Sobre o autor