Home | Livros | Companhia das Letras | BOM DIA PARA NASCER
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

BOM DIA PARA NASCER

Otto Lara Resende

R$ 89,90

/ À vista

Apresentação

Em textos leves e cheios de estilo, o escritor comenta, discute e ilumina grandes momentos da história, mas também aqueles eventos que quase passam desapercebidos em nosso cotidiano. Publicadas originalmente no início dos anos 1990, as crônicas de Otto converteram-se em um clássico instantâneo do gênero.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Bom dia para nascer

Otto Lara Resende

R$ 89,90

Companhia das Letras

O rio é tão longe

Otto Lara Resende

R$ 89,90

Companhia das Letras

O príncipe e o sabiá - e outros perfis

Otto Lara Resende

R$ 89,90

Preço total de

R$ 269,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O príncipe e o sabiá - e outros perfis

Otto Lara Resende

R$ 89,90

Companhia das Letras

A testemunha silenciosa

Otto Lara Resende

R$ 59,90

Companhia das Letras

O mais estranho dos países

Paulo Mendes Campos

R$ 79,90

Companhia das Letras

O escolhido foi você

Miranda July

R$ 79,90

Companhia das Letras

Coronelismo enxada e voto

Victor Nunes Leal

R$ 94,90

Penguin-Companhia

O emblema vermelho da coragem

Stephen Crane

R$ 49,90

Ficha Técnica

Título original: Bom dia para nascer Páginas: 440 Formato: 13.70 X 21.00 cm Peso: 0.522 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 29/11/2011
ISBN: 978-85-3591-994-3 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Em textos leves e cheios de estilo, o escritor comenta, discute e ilumina grandes momentos da história, mas também aqueles eventos que quase passam desapercebidos em nosso cotidiano. Publicadas originalmente no início dos anos 1990, as crônicas de Otto converteram-se em um clássico instantâneo do gênero.

No início da década de 1990, Otto Lara Resende iniciou uma profícua e caudalosa colaboração com a Folha de S. Paulo. Jornalista tarimbado, com passagens por diversas redações, Otto escrevia nesse espaço diário crônicas sobre uma vasta gama de assuntos: os desajustes da política (vivíamos a Era Collor), os amigos desaparecidos (como Nelson Rodrigues, Vinicius de Moraes e Paulo Mendes Campos), os costumes no Rio de Janeiro (cidade que o mesmerizava), as mudanças no nosso idioma, a literatura etc. Sempre com clareza e delicadeza exemplares.
Esta reunião de suas crônicas na Folha é uma edição ampliada de um volume publicado pela Companhia das Letras em 1993 e organizado, na época, por Matinas Suzuki. Desta vez, o jornalista Humberto Werneck recebeu a incumbência de coordenar o volume, garimpando mais de setenta crônicas nunca antes publicadas em livro.
E o Otto cronista é nada menos que um clássico do gênero: sua prosa, escorreita e refinada (mas nunca hermética), se molda à perfeição a amplitude de temas e pontos de vista apresentados diariamente nas páginas do jornal. A leitura das notícias o alimentava, claro, mas também há aqueles tópicos consagrados por outros cronistas antes e depois (a exemplo de Rubem Braga e Fernando Sabino, amigos e personagens de alguns textos deste volume), como a impiedosa passagem do tempo, os encontros e desencontros proporcionados pela grande cidade, a nostalgia de quem sabe que tudo, afinal, é breve e desaparece um dia. Às vezes, na edição seguinte do jornal.

Sobre o autor