Home | Livros | Companhia das Letras | A PAISAGEM MORAL
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

A PAISAGEM MORAL

Sam Harris
Tradução: Claudio Angelo

Apresentação

Sam Harris apresenta uma contribuição valiosa para o embate polêmico entre religião e ciência.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

A paisagem moral

Sam Harris

R$ 72,90

Companhia de Bolso

A cultura do Renascimento na Itália

Jacob Burckhardt

R$ 47,90

Companhia de Bolso

O nome e o sangue

Evaldo Cabral de Mello

R$ 44,90

Preço total de

R$ 165,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

A morte da fé

Sam Harris

R$ 67,90

Indisponível

Companhia das Letras

Carta a uma nação cristã

Sam Harris

R$ 37,90

Indisponível

Companhia das Letras

O silêncio do algoz

François Bizot

R$ 57,90

Companhia das Letras

Um outro amor

Karl Ove Knausgård

R$ 77,90

Indisponível

Companhia das Letras

O invasor

Marçal Aquino

R$ 37,90

Indisponível

Companhia das Letras

Freud (1920-1923) - Obras completas volume 15

Sigmund Freud

R$ 82,90

Companhia das Letras

A casa do silêncio

Orhan Pamuk

R$ 72,90

Companhia das Letras

A virada

Stephen Greenblatt

R$ 52,90

Indisponível

Companhia das Letras

Lições de filosofia primeira

José Arthur Giannotti

R$ 58,32

Ficha Técnica

Título original: The moral landscape: how science can determine human values Páginas: 312 Formato: 16.00 X 23.00 cm Peso: 0.48 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 20/09/2013
ISBN: 978-85-3592-329-2 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Sam Harris apresenta uma contribuição valiosa para o embate polêmico entre religião e ciência.

Sam Harris é um dos líderes do movimento que prega o abandono da religião em nome da ciência: o Novo Ateísmo, também defendido com veemência por Richard Dawkins, Daniel Dennett e Christopher Hitchens.
Em A paisagem moral, o autor pretende demolir de vez a benevolência com que muita gente - cientistas inclusive - aborda a religião, como se a ciência não tivesse o que opinar no plano moral. Segundo ele, a neurociência pode sim contribuir na busca pela maximização do bem-estar disseminado que define, em sua visão, o pensamento moral. O universo de decisões que podem ser tomadas é representado no livro por uma paisagem "cujos picos correspondem ao apogeu do bem-estar possível e cujos vales representam o mais profundo sofrimento". A ciência - em especial no que diz respeito ao funcionamento do cérebro - já pode em parte ajudar a determinar o relevo dessa paisagem e, à medida que o conhecimento avança, essa influência deverá se tornar cada vez mais concreta.
Em capítulos que tratam de verdades morais, do bem e do mal, de crenças, de religião e do futuro da felicidade, Harris descreve resultados de estudos em neurociência que não só definem essa ideia de moral, mas também lançam luz sobre os equívocos e a irrelevância da religião; a seu ver, esta seria antes uma fonte de fanatismo e intolerância - uma argumentação mordaz que tem tudo para arrebatar seguidores e promover debates acalorados.

Sobre o autor