Home | Livros | Quadrinhos na Cia | O ESTRANGEIRO
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O ESTRANGEIRO

Jacques Ferrandez
Tradução: Carol Bensimon

R$ 77,90

/ À vista

Apresentação

A obra-prima de Albert Camus adaptada para quadrinhos.

Frequentemente comprados juntos

Quadrinhos na Cia

O estrangeiro

Jacques Ferrandez

R$ 77,90

Quadrinhos na Cia

Clara dos anjos

Lima Barreto

R$ 67,90

Quadrinhos na Cia

1984 (Edição em quadrinhos)

George Orwell

R$ 94,90

Preço total de

R$ 240,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Quadrinhos na Cia

Aqui

Richard McGuire

R$ 109,90

Indisponível

Quadrinhos na Cia

Ah como era boa a ditadura...

Luiz Gê

R$ 77,90

Quadrinhos na Cia

Anne Frank -- A biografia ilustrada

Sid Sid Jacobson

R$ 57,90

Indisponível

Quadrinhos na Cia

A revolução dos bichos (Edição em quadrinhos)

George Orwell

R$ 74,90

Quadrinhos na Cia

1984 (Edição em quadrinhos)

George Orwell

R$ 94,90

Indisponível

Quadrinhos na Cia

Reportagens

Joe Sacco

R$ 67,90

Indisponível

Quadrinhos na Cia

Mate minha mãe

Jules Feiffer

R$ 77,90

Quadrinhos na Cia

Clara dos anjos

Lima Barreto

R$ 67,90

Ficha Técnica

Título original: L'etranger Páginas: 144 Formato: 20.00 X 27.00 cm Peso: 0.5 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 24/11/2014
ISBN: 978-85-3592-509-8 Selo: Quadrinhos na Cia Ilustração:

SOBRE O LIVRO

A obra-prima de Albert Camus adaptada para quadrinhos.

Em 2013, foi celebrado na França o centenário de Albert Camus. Realizado para a efeméride, um lançamento se destacou nas listas de mais vendidos, entre os leitores e a crítica: a adaptação para quadrinhos do clássico O estrangeiro, de 1942. Não poderia haver artista melhor que Jacques Ferrandez para realizar tal tarefa. Conterrâneo de Camus, Ferrandez é considerado um especialista incontestável na Argélia colonial, tendo vivido por muitos anos na mesma rua que o autor. A luminosidade de suas aquarelas e a riqueza de seus cenários demostram, de fato, que se trata de um profundo conhecedor da obra de Camus e de sua ambientação, capaz de reconstruir a narrativa com força e fidelidade e de dar conta de sua dimensão simbólica, sem suavizar seus mistérios. No dia em que sua mãe morre, Meursault acaba adormecendo no ônibus que o transporta de Argel ao asilo onde ela vivia. Mais tarde, durante o funeral, ele bebe o café oferecido pelo zelador do asilo, tem vontade de fumar e fica perturbado com a luz violenta das lâmpadas elétricas. É sob a influência aguda do sol argelino que o cega e queima que esse trabalhador calmo e reservado cometerá um ato irreparável. Camus apresenta um homem inapreensível, sem ambições ou desejos, que é levado a cometer um crime e que assiste, indiferente, a seu próprio julgamento. A história de Meursault fascinou milhões de leitores pelo mundo, ao oferecer uma reflexão contundente sobre o absurdo da condição humana e questionar a máquina impiedosa da justiça social. Passados mais de setenta anos de sua publicação, O estrangeiro está mais atual do que nunca.

Sobre o autor