Home | Livros | Objetiva | A MENINA QUE NÃO SABIA ODIAR
CLIQUE PARA AMPLIAR

A MENINA QUE NÃO SABIA ODIAR

A comovente história de uma criança que sobreviveu ao Holocausto

Lidia Maksymowicz e Paolo Rodari
Tradução: Silvana Cobucci

R$ 59,90

/ À vista

Apresentação

Um relato comovente e poderoso de uma menina que, com apenas três anos, conheceu a realidade de um campo de concentração nazista. Separada dos pais depois da libertação -- os quais só reencontrou anos depois --, Lidia agora compartilha sua história com leitores de todo o mundo.

Frequentemente comprados juntos

Objetiva

A menina que não sabia odiar

Lidia Maksymowicz e Paolo Rodari

R$ 59,90

Objetiva

O jovem Hitler

Paul Ham

R$ 74,90

Companhia das Letras

Eva Braun

Heike B. Görtemaker

R$ 77,90

Preço total de

R$ 212,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Zahar

Uma história da imaginação

Felipe Fernández-Armesto

R$ 149,90

Companhia das Letras

Trilogia de Copenhagen

Tove Ditlevsen

R$ 79,90

Companhia das Letras

É a Ales - Autor vencedor do Nobel de literatura 2023

Jon Fosse

R$ 64,90

Fontanar

A armadilha da perfeição

Thomas Curran

R$ 89,90

Companhia das Letras

Por último vem o corvo

Italo Calvino

R$ 74,90

Companhia das Letras

Admirável novo mundo

Bernardo Esteves

R$ 104,90

Suma

Nós fazemos o mundo

N. K. Jemisin

R$ 79,90

Ficha Técnica

Título original: La Bambina Che Non Sapeva Odiare Páginas: 152 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.21 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 09/10/2023
ISBN: 978-85-3900-773-8 Selo: Objetiva Capa: Joana Figueiredo Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um relato comovente e poderoso de uma menina que, com apenas três anos, conheceu a realidade de um campo de concentração nazista. Separada dos pais depois da libertação -- os quais só reencontrou anos depois --, Lidia agora compartilha sua história com leitores de todo o mundo.

Nos anos 1940, nos bosques da Bielorrússia, um grupo de resistência opunha-se à barbárie do nazismo. A família de Lidia Maksymowicz aderiu a este movimento desde os primeiros dias. Porém, em dezembro de 1943, foram todos presos e levados para Auschwitz-Birkenau.
Aos três anos, Lidia foi enviada para um barracão com outras crianças, que viviam amontoadas em beliches de madeira dura e serviam de cobaias para Josef Mengele -- conhecido como "o Anjo da Morte" -- em seus experimentos pseudocientíficos. Essa rotina de opressões desumanas durou até a libertação do campo, em 1945.
Mas a sobrevivência teve um preço: a família de Lidia desapareceu, e sua mãe foi dada como morta. A menina então foi adotada por uma mulher de uma cidade vizinha e começou uma nova vida, mas nunca esqueceu quem é e de onde veio. Um dia, sua história veio à tona: no início dos anos 1960, Lidia descobriu que seus pais biológicos ainda estavam vivos.
A menina que não sabia odiar é um relato íntimo e poderoso. Num momento em que ideias fascistas ressurgem e ganham novos contornos em todo o mundo, a história de Lidia torna-se uma leitura essencial.

Sobre o autor