Home | Livros | Objetiva | MARIA BONITA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

MARIA BONITA

Sexo, violência e mulheres no cangaço

Adriana Negreiros

R$ 59,90

/ À vista

Apresentação

A mulher mais importante do cangaço brasileiro, que inspirou gerações de mulheres, ganha agora sua biografia mais completa e com uma perspectiva feminista. Embora a mitificação da imagem de Maria Bonita tenha escondido situações de constante violência, ela em nada diminui o caráter transgressor da Rainha do Sertão.

Frequentemente comprados juntos

Objetiva

Maria Bonita

Adriana Negreiros

R$ 59,90

Companhia das Letras

A vida não é útil

Ailton Krenak

R$ 42,90

Companhia das Letras

Ideias para adiar o fim do mundo (Nova edição)

Ailton Krenak

R$ 42,90

Preço total de

R$ 145,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Suma

Quatro estações

Stephen King

R$ 87,90

Zahar

Fundamentos da psicanálise de Freud a Lacan - vol. 3

Marco Antonio Coutinho Jorge

R$ 89,90

Indisponível

Companhia das Letrinhas

Capitão Cueca e a grande e desagradável batalha do menino biônico Meleca Seca - Em cores!

Dav Pilkey

R$ 52,90

Zahar

O Seminário, livro 3

Jacques Lacan

R$ 139,90

Objetiva

Minha história

Michelle Obama

R$ 59,92

Objetiva

Devassos no Paraíso (4ª edição, revista e ampliada)

João Silvério Trevisan

R$ 70,32

Objetiva

Sexo no cativeiro (Nova edição)

Esther Perel

R$ 67,90

Objetiva

Na minha pele

Lázaro Ramos

R$ 57,90

Objetiva

Arriscando a própria pele

Nassim Nicholas Taleb

R$ 74,90

Objetiva

O fim do Alzheimer

Dale E. Bredesen

R$ 64,90

Companhia das Letrinhas

Capitão Cueca e a grande e desagradável batalha do menino biônico Meleca Seca - Em cores!

Dav Pilkey

R$ 52,90

Objetiva

Nudge

Richard H. Thaler Cass R. Sunstein

R$ 72,90

Indisponível

Ficha Técnica

Páginas: 296 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.383 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 31/08/2018
ISBN: 978-85-4700-068-4 Selo: Objetiva Ilustração:

SOBRE O LIVRO

A mulher mais importante do cangaço brasileiro, que inspirou gerações de mulheres, ganha agora sua biografia mais completa e com uma perspectiva feminista. Embora a mitificação da imagem de Maria Bonita tenha escondido situações de constante violência, ela em nada diminui o caráter transgressor da Rainha do Sertão.

A mulher mais importante do cangaço brasileiro, que inspirou gerações de mulheres, ganha agora sua biografia mais completa e com uma perspectiva feminista. Embora a mitificação da imagem de Maria Bonita tenha escondido situações de constante violência, ela em nada diminui o caráter transgressor da Rainha do Sertão.Desde os anos 1990, a data de nascimento de Maria Bonita passou a ser celebrada no Dia Internacional da Mulher. Com o tempo, ela transformou-se em uma marca poderosa, emprestando seu nome a centenas de pousadas e restaurantes espalhados pelo Nordeste, salões de beleza, academias de ginástica, cerveja, pizza, assentamento rural, música, bandas de forró e coletivos feministas.Enquanto a companheira de Lampião viveu, no entanto, essa personagem nunca existiu. A cangaceira que teve a cabeça decepada em 28 de julho de 1938 era simplesmente Maria de Déa: uma jovem de 28 anos que morreu sem jamais saber que, um dia, seria conhecida como Maria Bonita.Nos anos em que viveu com Lampião e nos subsequentes à sua morte, despertou pouco interesse em pesquisadores ou jornalistas. E foi essa lacuna de informações sobre sua vida e a das outras jovens que viviam com o bando que contribuiu para que se criasse a fantasia de uma impetuosa guerreira, hábil amazona do sertão, uma Joana D'Arc da caatinga. Essa versão romântica e justiceira de Maria Bonita, rapidamente apropriada pela indústria cultural, tornou-se um produto de forte apelo comercial – e expandiu seus limites para além das fronteiras do sertão. Neste livro, Adriana Negreiros constrói a biografia mais completa até então daquela que é, sem dúvidas, a mulher mais importante do cangaço.

Sobre o autor