Home | Livros | Alfaguara | UMA DOR PERFEITA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

UMA DOR PERFEITA

Ricardo Lísias

R$ 64,90

R$ 55,17

/ À vista

Apresentação

Um romance impressionante sobre os efeitos da pandemia e sobre uma família que, à beira do fim, permanece unida. Internado com uma grave infecção de covid-19, Ricardo Lísias fala do delírio e da dor, da angústia dos médicos e dos pacientes, e da possibilidade de nunca mais rever o filho, em uma narrativa impactante e emocional.

Frequentemente comprados juntos

Alfaguara

Uma dor perfeita

Ricardo Lísias

R$ 55,17

Companhia das Letras

Solitária

Eliana Alves Cruz

R$ 59,42

Companhia das Letras

A pediatra

Andréa Del Fuego

R$ 58,41

Preço total de

R$ 173,00

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Receitas de inverno da comunidade

Louise Glück

R$ 59,90

Alfaguara

Inventário do azul

João Anzanello Carrascoza

R$ 67,92

Alfaguara

Abandonar um gato

Haruki Murakami

R$ 84,90

Alfaguara

Corpo desfeito

Jarid Arraes

R$ 50,92

Boa Companhia

Vestida de preto e outros contos

Mário de Andrade

R$ 54,90

Ficha Técnica

Páginas: 152 Formato: 15.00 X 23.40 cm Peso: 0.258 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 26/04/2022
ISBN: 978-85-5652-137-8 Selo: Alfaguara Capa: Mateus Valadares Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Um romance impressionante sobre os efeitos da pandemia e sobre uma família que, à beira do fim, permanece unida. Internado com uma grave infecção de covid-19, Ricardo Lísias fala do delírio e da dor, da angústia dos médicos e dos pacientes, e da possibilidade de nunca mais rever o filho, em uma narrativa impactante e emocional.

"Um leve mal-estar. Estou com aquela variante que não faz nada", diz o narrador neste romance, momentos antes de ser internado na unidade de tratamento intensivo para covid-19 de um hospital em São Paulo. Nos instantes seguintes, ele irá sofrer um colapso pulmonar que o levará ao delírio, à dor, e ao medo diante da morte.

Em Uma dor perfeita, Ricardo Lísias narra o período em que esteve de fato internado, oscilando entre a consciência e o devaneio. Ele descreve a luta de médicos e enfermeiros, e a angústia pelos pacientes que não sobreviveram. Fala das dificuldades de recuperação e mostra como, mesmo depois do trauma, a doença deixa marcas profundas na relação com os outros. Mas o livro é, acima de tudo, a narrativa de um pai. Um pai que, em seu delírio, vê a esposa com os olhos "de pedra", o filho com o rosto "embaçado", e teme nunca mais encontrá-los.

Sobre o autor