CLIQUE PARA AMPLIAR

Apresentação

Apontado como o mais brasileiro dos poetas árcades, pela admissão de motivos nacionais em seus poemas de feição neoclássica, Silva Alvarenga foi dos nossos mais notáveis intelectuais do século XVIII.

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O carapuceiro

Padre Lopes Gama

R$ 62,00

Indisponível

Companhia das Letras

Retrato do Brasil

Paulo Prado

R$ 52,90

Indisponível

Companhia das Letras

Confissões da Bahia

Ronaldo Vainfas (Org.)

R$ 74,90

Indisponível

Companhia das Letras

Vossa insolência

Olavo Bilac

R$ 89,90

Companhia das Letras

Monstros e monstrengos do Brasil

Afonso d'Escragnolle-Taunay

R$ 57,90

Indisponível

Companhia das Letras

Jornal de Timon

João Francisco Lisboa

R$ 79,90

Indisponível

Companhia das Letras

Projetos para o Brasil

José Bonifácio de Andrada e Silva

R$ 69,90

Indisponível

Companhia das Letras

Código do bom-tom

J. I. Roquette

R$ 74,90

Indisponível

Companhia das Letras

Através do Brasil

Olavo Bilac Manoel Bomfim

R$ 67,90

Indisponível

Companhia das Letras

História do Brasil pelo método confuso

Mendes Fradique Apparecida Saramago

R$ 62,90

Indisponível

Companhia das Letras

Manual do agricultor brasileiro

Carlos Augusto Taunay

R$ 64,90

Indisponível

Companhia das Letras

Diário de uma expedição

Euclides da Cunha

R$ 67,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Glaura Páginas: 312 Formato: 11.00 X 16.00 cm Peso: 0.248 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 22/07/1996
ISBN: 978-85-7164-562-2 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Apontado como o mais brasileiro dos poetas árcades, pela admissão de motivos nacionais em seus poemas de feição neoclássica, Silva Alvarenga foi dos nossos mais notáveis intelectuais do século XVIII.

Em Glaura - Poemas eróticos (1799), Silva Alvarenga soube criar uma sonoridade leve e cantante, animada por um sentimentalismo difuso, entre dengoso e lamuriante, que iria derramar-se, em clave mais adocicada, em muitas cantigas do nosso cancioneiro popular. Ao mesmo tempo, a imaginação plástica de Silva Alvarenga captou vivamente aspectos da natureza carioca, abrindo espaço para um sentimento da paisagem que os românticos depois iriam aprofundar. Por tudo isso, Glaura constitui um episódio fundamental do arcadismo brasileiro.

Sobre o autor