Home | Livros | Companhia das Letrinhas | MALALA, A MENINA QUE QUERIA IR PARA A ESCOLA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

MALALA, A MENINA QUE QUERIA IR PARA A ESCOLA

Autor: Adriana Carranca
Ilustrador: Bruna Assis Brasil
Previsão de reimpressão: 03/2024

Apresentação

Neste livro-reportagem, a jornalista Adriana Carranca relata às crianças a história da adolescente paquistanesa Malala Yousafzai, baleada por membros do Talibã aos catorze anos por defender a educação feminina. A repórter traz suas percepções sobre o vale do Swat, a história da região e a definição dos termos mais importantes para entender a vida desta menina tão corajosa.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letrinhas

Malala, a menina que queria ir para a escola

Adriana Carranca

R$ 49,90

Companhia das Letrinhas

Amoras

Emicida

R$ 39,90

Companhia das Letrinhas

E foi assim que eu e a Escuridão ficamos amigas

Emicida

R$ 31,92

Preço total de

R$ 121,72

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Grande sertão: veredas

João Guimarães Rosa

R$ 99,90

Seguinte

Conectadas

Clara Alves

R$ 38,43

Zahar

Por um feminismo afro-latino-americano

Lélia Gonzalez

R$ 50,32

Paralela

O acordo - Sucesso no TikTok

Elle Kennedy

R$ 59,90

Seguinte

Por lugares incríveis

Jennifer Niven

R$ 38,43

Seguinte

Trono destruído

Victoria Aveyard

R$ 59,90

Companhia das Letras

Ideias para adiar o fim do mundo (Nova edição)

Ailton Krenak

R$ 34,32

Companhia das Letras

Ensaio sobre a cegueira (Nova edição)

José Saramago

R$ 62,90

Companhia das Letrinhas

O carteiro chegou

Allan Ahlberg

R$ 77,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Malala, a menina que queria ir para a escola Páginas: 96 Formato: 15.50 X 22.50 cm Peso: 0.218 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 27/04/2015
ISBN: 978-85-7406-670-7 Selo: Companhia das Letrinhas Ilustração: Bruna Assis Brasil

SOBRE O LIVRO

Neste livro-reportagem, a jornalista Adriana Carranca relata às crianças a história da adolescente paquistanesa Malala Yousafzai, baleada por membros do Talibã aos catorze anos por defender a educação feminina. A repórter traz suas percepções sobre o vale do Swat, a história da região e a definição dos termos mais importantes para entender a vida desta menina tão corajosa.

Malala Yousafzai quase perdeu a vida por querer ir para a escola. Ela nasceu no vale do Swat, no Paquistão, uma região de extraordinária beleza, cobiçada no passado por conquistadores como Gengis Khan e Alexandre, o Grande, e protegida pelos bravos guerreiros pashtuns - os povos das montanhas. Foi habitada por reis e rainhas, príncipes e princesas, como nos contos de fadas. Malala cresceu entre os corredores da escola de seu pai, Ziauddin Yousafzai, e era uma das primeiras alunas da classe. Quando tinha dez anos viu sua cidade ser controlada por um grupo extremista chamado Talibã. Armados, eles vigiavam o vale noite e dia, e impuseram muitas regras. Proibiram a música e a dança, baniram as mulheres das ruas e determinaram que somente os meninos poderiam estudar. Mas Malala foi ensinada desde pequena a defender aquilo em que acreditava e lutou pelo direito de continuar estudando. Ela fez das palavras sua arma. Em 9 de outubro de 2012, quando voltava de ônibus da escola, sofreu um atentado a tiro. Poucos acreditaram que ela sobreviveria. A jornalista Adriana Carranca visitou o vale do Swat dias depois do atentado, hospedou-se com uma família local e conta neste livro tudo o que viu e aprendeu por lá. Ela apresenta às crianças a história real dessa menina que, além de ser a mais jovem ganhadora do prêmio Nobel da paz, é um grande exemplo de como uma pessoa e um sonho podem mudar o mundo.

Sobre o autor