Home | Livros | Penguin-Companhia | ANTÍGONA
CLIQUE PARA AMPLIAR

ANTÍGONA

Sófocles
Tradução: Lawrence Flores Pereira

R$ 49,90

/ À vista

Apresentação

Parte da trilogia tebana junto de Édipo rei e Édipo em Colono, Antígona ainda hoje é uma das peças de teatro mais encenadas no mundo. Representação tanto do poder do desafio quanto do ímpeto da legalidade, a tragédia mostra sua atualidade e importância ao pensar o papel do Estado, da família e da justiça.

Frequentemente comprados juntos

Penguin-Companhia

Antígona

Sófocles

R$ 49,90

Penguin-Companhia

Memórias do subsolo

Fiódor Dostoiévski

R$ 42,90

Penguin-Companhia

Evguiêni Oniéguin

Aleksandr Púchkin

R$ 54,90

Preço total de

R$ 147,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Penguin-Companhia

Evguiêni Oniéguin

Aleksandr Púchkin

R$ 54,90

Companhia das Letras

O Jardim das Hespérides

Laura de Mello e Souza

R$ 89,90

Companhia das Letras

Gabriela, cravo e canela (Edição especial)

Jorge Amado

R$ 169,90

Companhia das Letras

Aquele mundo de Vasabarros

José J. Veiga

R$ 47,92

Companhia das Letras

Para o lado de Swann

Marcel Proust

R$ 114,90

Penguin-Companhia

Essencial Sérgio Buarque de Holanda

Sérgio Buarque de Holanda

R$ 69,90

Penguin-Companhia

Memórias do subsolo

Fiódor Dostoiévski

R$ 42,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Antígona Páginas: 232 Formato: 13.00 X 20.00 cm Peso: 0.23 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 04/01/2023
ISBN: 978-85-8285-154-8 Selo: Penguin-Companhia Capa: Malu Romani Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Parte da trilogia tebana junto de Édipo rei e Édipo em Colono, Antígona ainda hoje é uma das peças de teatro mais encenadas no mundo. Representação tanto do poder do desafio quanto do ímpeto da legalidade, a tragédia mostra sua atualidade e importância ao pensar o papel do Estado, da família e da justiça.

Na lendária Tebas, Creonte, um novo tirano, ordena que sejam dados tratamentos desiguais aos dois irmãos de Antígona. Sua imposição é didática. Se aquele que lutou ao lado da cidade deve receber as honras do sepultamento, o outro, que atacou as muralhas, deve ser jogado no ermo para que sirva de exemplo aos opositores.
A ordem, no entanto, não é aceita por Antígona. Ela se insurge contra o édito, honrando seu irmão, defendendo os ritos sacros devidos aos deuses, pondo em risco sua própria vida, trazendo à tona a herança e a verve da antiga estirpe dos Labdácidas.
Composta por volta de 442 a. C., Antígona é ainda hoje uma peça conturbada e polêmica. É uma tragédia que pontua os limites do poder, o seu lugar e as suas instâncias, e que oferece o espetáculo grandioso da vontade, do sentimento de estirpe, da piedade e da justiça.