Home | Livros | Companhia das Letras | INSULTOS IMPRESSOS (NOVA EDIÇÃO)
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

INSULTOS IMPRESSOS (NOVA EDIÇÃO)

A guerra dos jornalistas na Independência (1821 -- 1823)

Isabel Lustosa

R$ 104,90

/ À vista
ou em até 2x no crédito de R$ 52,45

Apresentação

Alentado estudo sobre a imprensa da Independência, Insultos impressos ganha nova edição acrescida de um pós-escrito. Revelando uma outra visão da Independência, este livro explica como nobres, anônimos e poderosos usaram as páginas de jornais, muitas vezes de forma não civilizada, para debater suas ideias e seus interesses.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Insultos impressos (Nova edição)

Isabel Lustosa

R$ 104,90

Companhia das Letras

Como organizar uma biblioteca

Roberto Calasso

R$ 69,90

Companhia das Letras

História do Brasil em 25 mapas

Andréa Doré (Org.) e Junia Furtado (Org.)

R$ 169,90

Preço total de

R$ 344,70

Adicionar ao carrinho
A letra da lei

Zahar

A letra da lei

Linda Colley

R$ 124,90

História do Brasil em 25 mapas

Companhia das Letras

História do Brasil em 25 mapas

Andréa Doré Junia Furtado

R$ 169,90

Uma casa no mundo

Companhia das Letras

Uma casa no mundo

Amartya Sen

R$ 119,90

O anjo pornográfico (Nova edição)

Companhia das Letras

O anjo pornográfico (Nova edição)

Ruy Castro

R$ 99,90

O último endereço de Eça de Queiroz

Companhia das Letras

O último endereço de Eça de Queiroz

Miguel Sanches Neto

R$ 69,90

Os condenados da terra

Zahar

Os condenados da terra

Frantz Fanon

R$ 69,90

Sobre a liberdade

Companhia das Letras

Sobre a liberdade

Maggie Nelson

R$ 99,90

Da botica ao boteco

Companhia de Mesa

Da botica ao boteco

Néli Pereira

R$ 69,90

Ficha Técnica

Páginas: 528 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.668 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 27/09/2022
ISBN: 978-65-5921-122-7 Selo: Companhia das Letras Capa: Ettore Bottini Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Alentado estudo sobre a imprensa da Independência, Insultos impressos ganha nova edição acrescida de um pós-escrito. Revelando uma outra visão da Independência, este livro explica como nobres, anônimos e poderosos usaram as páginas de jornais, muitas vezes de forma não civilizada, para debater suas ideias e seus interesses.

A imprensa teve papel fundamental no processo de nossa Independência. Só implantada no Brasil em 1808 e, mesmo assim, sob forte censura, foi liberada a partir de 1821. Os novos ventos da política que mudaram o sistema monárquico de absolutista para constitucionalista estimulariam muitos brasileiros a participar dessa arena pública de debate -- em um primeiro momento, lutando contra os decretos das cortes de Lisboa que determinavam medidas contra os interesses do Brasil, como a volta do imperador para Portugal, e, após o Fico, disputando entre si sobre o melhor projeto constitucional para o país. Tal liberação revelou um elenco de jornalistas improvisados que trouxe para a página impressa um rico repertório de recursos retóricos, linguagens e ações. Com o direito ao anonimato dos autores garantido por lei, personalidades como o próprio d. Pedro, seu ministro José Bonifácio e o maior intelectual da época, o visconde de Cairu, se digladiaram com gente mais modesta como João Soares Lisboa, Luís Augusto May e o sardo Joseph Stephano Grondona, produzindo a impressionante polifonia revelada nas páginas de Insultos impressos.


"Isabel Lustosa é daquelas historiadoras que parecem inspiradas pelos narradores populares. Escreve como quem vai contando, lembrando de um detalhe ou de outro, e o resultado é que o leitor é levado para onde a autora quer. Desta vez, o convite é para conhecer a história da Independência nacional, de um prisma diferente: o olhar da imprensa que surgia nesse mesmo contexto. Trata-se do período que acompanha a instalação de d. João VI e de sua corte em terras tropicais e segue até os momentos conturbados da emancipação política, quando o filho, d. Pedro I, assume o centro do embate." -- Lilia Moritz Schwarcz

Sobre o autor