Home | Livros | Companhia das Letras | RIO DE JANEIRO, CIDADE MESTIÇA
CLIQUE PARA AMPLIAR

RIO DE JANEIRO, CIDADE MESTIÇA

Jean-Baptiste Debret
Tradução: Rosa Freire Aguiar

R$ 219,90

/ À vista
ou em até 3x no crédito de R$ 73,30

Apresentação

As magníficas estampas que Debret pintou durante os quinze anos em que morou no Rio são o mais completo inventário da sociedade brasileira nos primeiros anos do Brasil independente. Setenta delas estão reproduzidas aqui, acompanhadas por textos do artista e ensaios do historiador Luiz Felipe de Alencastro, do antropólogo Serge Gruzinski e do romancista Tierno Monénembo.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Rio de Janeiro, cidade mestiça

Jean-Baptiste Debret

R$ 219,90

Companhia das Letras

A ferro e fogo

Warren Dean

R$ 99,90

Companhia das Letras

Fluxo e refluxo

Pierre Verger

R$ 139,90

Preço total de

R$ 459,70

Adicionar ao carrinho
Chica da Silva e o contratador dos diamantes

Companhia das Letras

Chica da Silva e o contratador dos diamantes

Júnia Ferreira Furtado

R$ 99,90

Indisponível
A ferro e fogo

Companhia das Letras

A ferro e fogo

Warren Dean

R$ 99,90

Indisponível
O maior revolucionário das Américas

Zahar

O maior revolucionário das Américas

Sudhir Hazareesingh

R$ 124,90

Cidade porosa

Objetiva

Cidade porosa

Bruno Carvalho

R$ 99,90

Indisponível
Sobre meninos e lobos - Mystic River

Companhia das Letras

Sobre meninos e lobos - Mystic River

Dennis Lehane

R$ 84,90

Indisponível
Rebelião escrava no Brasil

Companhia das Letras

Rebelião escrava no Brasil

João José Reis

R$ 134,90

Indisponível
Travessias difíceis

Companhia das Letras

Travessias difíceis

Simon Schama

R$ 99,90

História noturna

Companhia de Bolso

História noturna

Carlo Ginzburg

R$ 64,90

Ficha Técnica

Título original: Rio de Janeiro, cidade mestiça Páginas: 204 Formato: 19.00 X 26.00 cm Peso: 0.9 kg Acabamento: Livro capa dura Lançamento: 03/12/2001
ISBN: 978-85-3590-168-9 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

As magníficas estampas que Debret pintou durante os quinze anos em que morou no Rio são o mais completo inventário da sociedade brasileira nos primeiros anos do Brasil independente. Setenta delas estão reproduzidas aqui, acompanhadas por textos do artista e ensaios do historiador Luiz Felipe de Alencastro, do antropólogo Serge Gruzinski e do romancista Tierno Monénembo.

O Rio de Janeiro dos anos 20 e 30 do século XIX é a metrópole do país. É uma cidade movimentada, colorida, perigosa. Quase um terço de seus habitantes nasceu na África, mas é grande a população de europeus vindos com a corte portuguesa. É esse Rio de Janeiro mestiço que Jean-Baptiste Debret retrata durante os quinze anos em que morou ali, de 1816 a 1831. A moça rica e analfabeta, o sinhozinho indolente, a vergonhosa compra e venda de africanos na rua do Valongo, as sessões de chibatadas nas praças públicas, o desembargador, o contrabandista e o comerciante desonesto, os artesãos, as prostitutas e os marinheiros, as roupas que se usavam na época, as comidas, os remédios e as mandingas - nada escapou ao seu pincel.Setenta de suas litografias estão reproduzidas em Rio de Janeiro, cidade mestiça, acompanhadas dos comentários saborosos do próprio Debret. E pela primeira vez as imagens são analisadas também por seu valor como fonte para o estudo do nascimento da nação brasileira, em ensaios do historiador Luiz Felipe de Alencastro, do antropólogo francês Serge Gruzinski e do romancista guineano Tierno Monénembo.

Sobre o autor