Home | Livros | Companhia de Bolso | GOSTARÍAMOS DE INFORMÁ-LO DE QUE AMANHÃ SEREMOS MORTOS COM NOSSAS FAMÍLIAS
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

GOSTARÍAMOS DE INFORMÁ-LO DE QUE AMANHÃ SEREMOS MORTOS COM NOSSAS FAMÍLIAS

Philip Gourevitch
Tradução: José Geraldo Couto

Apresentação

A história de um dos mais terríveis genocídios do século XX, só comparável ao Holocausto dos judeus sob o nazismo: o massacre dos tutsis, em Ruanda, em 1994. Mescla de testemunho e reflexão sobre o episódio, o livro mostra como, ainda hoje, a distância entre civilização e barbárie pode ser curta.

Você pode gostar também de

Companhia de Bolso

Uma história de Deus

Karen Armstrong

R$ 57,90

Companhia de Bolso

Tudo que é sólido desmancha no ar

Marshall Berman

R$ 54,90

Companhia de Bolso

Uma história dos povos árabes

Albert Hourani

R$ 79,90

Companhia de Bolso

as sete maiores descobertas científicas da história

David Eliot Brody Arnold R. Brody

R$ 49,90

Indisponível

Companhia de Bolso

Rumo à estação Finlândia

Edmund Wilson

R$ 54,90

Companhia de Bolso

Cisnes selvagens

Jung Chang

R$ 57,90

Companhia de Bolso

A ascensão do romance

Ian Watt

R$ 49,90

Indisponível

Companhia de Bolso

As boas mulheres da China

Xinran

R$ 44,90

Companhia de Bolso

O campo e a cidade

Raymond Williams

R$ 47,90

Indisponível

Companhia de Bolso

O paciente inglês

Michael Ondaatje

R$ 47,90

Ficha Técnica

Título original: We wish to inform you that tomorrow we will be killed with our families - pocket Páginas: 352 Formato: 12.50 X 18.00 cm Peso: 0.291 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 04/08/2006
ISBN: 978-85-3590-892-3 Selo: Companhia de Bolso Ilustração:

SOBRE O LIVRO

A história de um dos mais terríveis genocídios do século XX, só comparável ao Holocausto dos judeus sob o nazismo: o massacre dos tutsis, em Ruanda, em 1994. Mescla de testemunho e reflexão sobre o episódio, o livro mostra como, ainda hoje, a distância entre civilização e barbárie pode ser curta.

Entre abril e julho de 1994 mais de um décimo da população de Ruanda foi exterminada, num genocídio só comparável ao Holocausto dos judeus sob o nazismo. Patrocinada pelo governo ruandês, a maioria hutu massacrou a minoria tutsi diante da indiferença da chamada "comunidade internacional". A tragédia, supostamente motivada pelo "ódio ancestral" entre as duas etnias, teve na verdade origens políticas e econômicas muito concretas. Durante três anos, o jornalista norte-americano Philip Gourevitch mergulhou na realidade ruandesa para tentar desvendar o amplo contexto cultural, político e étnico dos acontecimentos. Ouviu centenas de pessoas, reconstituindo o drama pessoal dos envolvidos na tragédia, fossem eles sobreviventes, assassinos ou cúmplices. Pesquisou as histórias recente e remota do país e, ao traçar o desenvolvimento das tensões étnicas em Ruanda, reuniu indícios suficientes para questionar a atuação dos colonizadores belgas e de outras potências ocidentais na região. Lúcido e pungente, o livro é ao mesmo tempo testemunho e reflexão sobre um dos episódios mais terríveis de nosso tempo, mostrando como, ainda hoje, a distância entre civilização e barbárie pode ser curta.

Sobre o autor