Home | Livros | Companhia de Bolso | O CASTELO
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O CASTELO

Franz Kafka
Tradução: Modesto Carone

R$ 47,90

/ À vista

Apresentação

Fausto do século XX, O castelo é considerado um dos pontos mais altos da ficção universal. Na história de K., o suposto agrimensor que tenta inutilmente chegar ao castelo que vê no topo de uma colina, o termo kafkiano parece atingir sua extensão completa.

Frequentemente comprados juntos

Companhia de Bolso

O castelo

Franz Kafka

R$ 47,90

Companhia de Bolso

O processo

Franz Kafka

R$ 47,90

Companhia de Bolso

Origens do totalitarismo

Hannah Arendt

R$ 64,90

Preço total de

R$ 160,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Penguin-Companhia

Essencial Franz Kafka

Franz Kafka

R$ 47,90

Companhia das Letras

O castelo

Franz Kafka

R$ 92,90

Indisponível

Companhia das Letras

O processo

Franz Kafka

R$ 67,90

Indisponível

Companhia de Bolso

Origens do totalitarismo

Hannah Arendt

R$ 64,90

Companhia de Bolso

A insustentável leveza do ser

Milan Kundera

R$ 52,90

Companhia de Bolso

Coração das trevas

Joseph Conrad

R$ 42,90

Companhia das Letras

Grande sertão: veredas

João Guimarães Rosa

R$ 99,90

Companhia das Letras

O veredicto / Na colônia penal

Franz Kafka

R$ 47,90

Companhia de Bolso

O homem duplicado

José Saramago

R$ 44,90

Ficha Técnica

Título original: O castelo (pocket) Páginas: 368 Formato: 12.50 X 18.00 cm Peso: 0.313 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 11/08/2008
ISBN: 978-85-3591-174-9 Selo: Companhia de Bolso Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Fausto do século XX, O castelo é considerado um dos pontos mais altos da ficção universal. Na história de K., o suposto agrimensor que tenta inutilmente chegar ao castelo que vê no topo de uma colina, o termo kafkiano parece atingir sua extensão completa.

O agrimensor K. chega a uma aldeia coberta de neve e procura abrigo num albergue perto da ponte. O ambiente sombrio e a recepção ambígua dão o tom do que será o romance. No dia seguinte o herói vê, no pico da colina gelada, o castelo: como um aviso sinistro, bandos de gralhas circulam em torno da torre. O personagem, K., nunca conseguirá chegar até o alto, nem os donos do poder permitirão que o faça. Em vez disso, o suposto agrimensor - mesmo a esse respeito não há certeza - busca reivindicar seus direitos a um verdadeiro cortejo de burocratas maliciosos, que o atiram de um lado para outro com argumentos que desenham o labirinto intransponível em que se entrincheira a dominação. O castelo - Fausto do século XX consolidado como um dos pontos mais altos da ficção universal - mostra a extensão completa do termo kafkiano.

Sobre o autor