Home | Livros | Companhia das Letras | O VEREDICTO / NA COLÔNIA PENAL
CLIQUE PARA AMPLIAR

O VEREDICTO / NA COLÔNIA PENAL

Franz Kafka
Tradução: Modesto Carone

R$ 47,90

/ À vista

Apresentação

O veredicto marca o momento exato em que Kafka assenta seu modo próprio de compor ficção; Na colônia penal consolida a ruptura profunda que opõe o anti-herói kafkiano ao mundo administrado.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

O veredicto / Na colônia penal

Franz Kafka

R$ 47,90

Companhia das Letras

Carta ao pai

Franz Kafka

R$ 47,90

Companhia das Letras

Um artista da fome / A construção

Franz Kafka

R$ 54,90

Preço total de

R$ 150,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Um artista da fome / A construção

Franz Kafka

R$ 54,90

Companhia das Letras

Narrativas do espólio

Franz Kafka

R$ 62,90

Companhia das Letras

Carta ao pai

Franz Kafka

R$ 47,90

Indisponível

Companhia das Letras

Um médico rural

Franz Kafka

R$ 47,90

Companhia das Letras

Contemplação / O foguista

Franz Kafka

R$ 52,90

Companhia das Letras

O processo

Franz Kafka

R$ 67,90

Indisponível

Companhia das Letras

O castelo

Franz Kafka

R$ 92,90

Indisponível

Penguin-Companhia

Essencial Franz Kafka

Franz Kafka

R$ 47,90

Ficha Técnica

Título original: Das Urteil / In der Strafkolonie Páginas: 88 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.144 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 07/08/1998
ISBN: 978-85-7164-806-7 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

O veredicto marca o momento exato em que Kafka assenta seu modo próprio de compor ficção; Na colônia penal consolida a ruptura profunda que opõe o anti-herói kafkiano ao mundo administrado.

O veredicto e Na colônia penal são duas obras-primas que nos levam ao coração da fantasia kafkiana e nos mostram até que ponto a literatura é capaz de varrer para longe toda imagem ue tenhamos de um mundo bom. Na primeira novela, um comerciante que assumiu a direção dos negócios em virtude da velhice do pai enfrenta o dilema de comunicar ou não seu noivado a um amigo que emigrou para a Rússia. Na segunda novela, Na colônia penal, um observador estrangeiro assiste aos preparativos de uma cerimônia de tortura e execução. Além dele e do próprio condenado, participam da cena apenas um soldado e o oficial encarregado de ministrar a justiça, o que será feito com o auxílio de uma máquina expressamente concebida para que cada condenado sinta na carne o peso e a especificidade da sentença que recebeu.

Sobre o autor