Home | Livros | Companhia das Letras | A HIDRA DE MUITAS CABEÇAS
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

A HIDRA DE MUITAS CABEÇAS

Peter Linebaugh e Marcus Rediker
Tradução: Berilo Vargas

Apresentação

Uma empolgante contranarrativa da modernidade, que expõe o outro lado - "de baixo para cima" - da formação do capitalismo global.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

A hidra de muitas cabeças

Peter Linebaugh e Marcus Rediker

R$ 82,90

Companhia das Letras

O trato dos viventes

Luiz Felipe de Alencastro

R$ 99,90

Companhia das Letras

O navio negreiro

Marcus Rediker

R$ 82,90

Preço total de

R$ 265,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Rebelião escrava no Brasil

João José Reis

R$ 114,90

Indisponível

Companhia das Letras

O diabo e a terra de santa cruz

Laura de Mello e Souza

R$ 82,90

Indisponível

Companhia das Letras

Comunidades imaginadas

Benedict Anderson

R$ 72,90

Claro Enigma

Mocambos e quilombos

Flávio dos Santos Gomes

R$ 49,90

Indisponível

Companhia das Letras

Costumes em comum

E. P. Thompson

R$ 99,90

Indisponível

Companhia das Letras

Dicionário da escravidão e liberdade

Lilia Moritz Schwarcz Flávio dos Santos Gomes

R$ 87,90

Ficha Técnica

Título original: The many-headed hydra Páginas: 448 Formato: 16.00 X 23.00 cm Peso: 0.686 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 12/09/2008
ISBN: 978-85-3591-292-0 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Uma empolgante contranarrativa da modernidade, que expõe o outro lado - "de baixo para cima" - da formação do capitalismo global.

Neste livro original e inovador, Peter Linebaugh e Marcus Rediker tratam da história oculta do proletariado atlântico nos séculos XVII e XVIII. Composta por trabalhadores que foram indispensáveis ao crescimento do capitalismo, mas que desempenharam funções que passaram despercebidas aos historiadores - derrubada das matas, levantamento de cercas, drenagem dos pântanos -, essa classe teve um caráter internacional, multiétnico e multicultural.
Ao examinar a resistência desse grupo contra a emergente ordem capitalista, os autores transitam por temas como o conteúdo histórico d'A tempestade de Shakespeare, a plataforma dos radicais na Revolução Inglesa e sua oposição à expansão escravista e imperial britânica, e até a formação da democracia pirata, por exemplo.
O livro acompanha, em uma narrativa envolvente, as voltas do bumerangue revolucionário pelo espaço atlântico: Linebaugh e Rediker demonstram como tradições políticas democráticas que nasceram na metrópole, na esteira do processo de expropriação dos camponeses e trabalhadores urbanos, passaram pelos ventos do tráfico negreiro na costa africana, adquiriram força nas plantations do Novo Mundo e voltaram com força para os portos europeus, alimentando o radicalismo do operariado no curso da Revolução Industrial.

Sobre o autor