Home | Livros | Companhia das Letras | O JOGO DA DISSIMULAÇÃO
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O JOGO DA DISSIMULAÇÃO

Wlamyra R. de Albuquerque

R$ 72,90

/ À vista

Apresentação

A partir de alguns fatos aparentemente desconexos ocorridos nas últimas décadas do século XIX na Bahia, este livro tece um quadro matizado e rico da articulação entre a questão racial e o fim do escravismo no Brasil.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

O jogo da dissimulação

Wlamyra R. de Albuquerque

R$ 72,90

Companhia das Letras

O diabo e a terra de santa cruz

Laura de Mello e Souza

R$ 82,90

Companhia de Bolso

Os andarilhos do bem

Carlo Ginzburg

R$ 44,90

Preço total de

R$ 200,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O espetáculo das raças

Lilia Moritz Schwarcz

R$ 67,90

Companhia das Letras

Rebelião escrava no Brasil

João José Reis

R$ 114,90

Indisponível

Companhia das Letras

O diabo e a terra de santa cruz

Laura de Mello e Souza

R$ 82,90

Indisponível

Companhia das Letras

Dicionário da escravidão e liberdade

Lilia Moritz Schwarcz Flávio dos Santos Gomes

R$ 87,90

Claro Enigma

Mocambos e quilombos

Flávio dos Santos Gomes

R$ 49,90

Indisponível

Companhia de Bolso

Cultura e imperialismo

Edward W. Said

R$ 57,90

Ficha Técnica

Título original: O jogo da dissimulação Páginas: 320 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.402 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 08/04/2009
ISBN: 978-85-3591-401-6 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

A partir de alguns fatos aparentemente desconexos ocorridos nas últimas décadas do século XIX na Bahia, este livro tece um quadro matizado e rico da articulação entre a questão racial e o fim do escravismo no Brasil.

Uma mulata forra não aceita os galanteios de um homem branco e reage a pedradas; um grupo de africanos retorna ao Brasil para se dedicar ao comércio, mas é mandado de volta à África; um delegado de polícia fica aflito por ter de devolver uma escrava "quase branca" ao seu proprietário; uma guarda de negros monarquistas ataca uma comitiva de republicanos em visita a Salvador; clubes carnavalescos de negros "inventam a tradição" e trazem para a rua imagens divergentes de uma África que não conhecem de perto.
Com esse mosaico de episódios sem conexão direta entre si, narrados com sabor e sabedoria, a historiadora Wlamyra Albuquerque mergulha em documentos das três últimas décadas do século XIX para mostrar como o longo processo da emancipação dos escravos no Brasil foi marcado por uma profunda racialização das relações sociais, levada a cabo por diferentes atores e instituições, desde lideranças abolicionistas e republicanas até libertos africanos e adeptos do candomblé.
Num exercício historiográfico inteligente e sofisticado, a autora opera uma análise fina, que foge dos reducionismos comuns para dar consistência ao debate e abrir um amplo leque de informações e argumentos novos.

Sobre o autor