Home | Livros | Companhia das Letras | O DESATINO DA RAPAZIADA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O DESATINO DA RAPAZIADA

Humberto Werneck

R$ 62,90

/ À vista

Apresentação

Na deliciosa narrativa deste livro que comemora vinte anos, Humberto Werneck retraça a trajetória de escritores e jornalistas que a partir de Minas Gerais iriam deixar uma marca em nossas letras.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

O desatino da rapaziada

Humberto Werneck

R$ 62,90

Companhia das Letras

Crônica da casa assassinada

Lúcio Cardoso

R$ 94,90

Companhia das Letras

Terras do sem-fim

Jorge Amado

R$ 67,90

Preço total de

R$ 225,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Paisagens da metrópole da morte

Otto Dov Kulka

R$ 54,90

Companhia das Letras

Os filhos da noite

Dennis Lehane

R$ 72,90

Companhia das Letras

Tantas palavras

Chico Buarque Humberto Werneck

R$ 87,90

Indisponível

Companhia das Letras

A máquina de madeira

Miguel Sanches Neto

R$ 62,90

Companhia das Letras

O melhor tempo é o presente

Nadine Gordimer

R$ 87,90

Companhia das Letras

Freud (1916 - 1917) - Obras completas volume 13

Sigmund Freud

R$ 92,90

Ficha Técnica

Título original: O desatino da rapaziada Páginas: 240 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.309 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 21/06/2012
ISBN: 978-85-3592-126-7 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Na deliciosa narrativa deste livro que comemora vinte anos, Humberto Werneck retraça a trajetória de escritores e jornalistas que a partir de Minas Gerais iriam deixar uma marca em nossas letras.

Carlos Drummond de Andrade, Cyro dos Anjos, Rubem Braga, Murilo Rubião, Fernando Sabino, Otto Lara Resende, Paulo Mendes Campos, Autran Dourado, Fernando Gabeira, Affonso Romano de Sant'Anna, Ivan Ângelo, Roberto Drummond, Luiz Vilela... O que há em comum entre esses escritores de épocas, gêneros e estilos tão diversos, além do fato de que são mineiros (ainda quando nascidos em outra parte, como o capixaba Rubem Braga)? É que todos eles, em algum momento, se renderam também à paixão pelo jornalismo.
Foi em torno de revistas e jornais, na verdade, que sucessivas gerações literárias de Minas chegaram a ganhar existência. Rico em informações para a história do jornalismo e da literatura, este livro de Humberto Werneck vai além: é sobretudo uma saborosa crônica de meio século de vida num lugar que tem dado ao país tantos bons poetas, prosadores - e jornalistas, naturalmente.
Publicado pela primeira vez há vinte anos, quando muitos dos personagens ainda estavam entre nós, O desatino da rapaziada tornou-se, com o passar do tempo, uma referência para estudiosos das letras e do jornalismo no Brasil. Mais do que isso, o tal do "desatino" postulado por Werneck - nada mais do que a velha camaradagem boemia e letrada - tornou-se uma espécie de conceito para a leitura da vida cultural mineira daquele tempo.

Sobre o autor