Home | Livros | Companhia das Letras | O TESTAMENTO DE MARIA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O TESTAMENTO DE MARIA

Colm Tóibín
Tradução: Jorio Dauster

R$ 59,90

/ À vista

Apresentação

Tóibín assume o ponto de vista da mãe de Jesus Cristo e questiona os eventos fundadores do Novo Testamento e da religião católica.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

O testamento de Maria

Colm Tóibín

R$ 59,90

Companhia das Letras

O mestre

Colm Tóibín

R$ 89,90

Companhia das Letras

Nora Webster

Colm Tóibín

R$ 89,90

Preço total de

R$ 239,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Brooklyn

Colm Tóibín

R$ 79,90

Indisponível

Companhia das Letras

O corpo humano

Paolo Giordano

R$ 79,90

Indisponível

Companhia das Letras

Cartas a um jovem cientista

Edward O. Wilson

R$ 69,90

Companhia das Letras

A cidade o inquisidor e os ordinários

Carlos de Brito e Mello

R$ 89,90

Alfaguara

Redemoinho em dia quente

Jarid Arraes

R$ 50,92

Ficha Técnica

Título original: The testament of Mary Páginas: 88 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.142 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 14/06/2013
ISBN: 978-85-3592-281-3 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Tóibín assume o ponto de vista da mãe de Jesus Cristo e questiona os eventos fundadores do Novo Testamento e da religião católica.

Em O testamento de Maria, Colm Tóibín, nome central na literatura contemporânea, assume o ponto de vista da mãe de Jesus Cristo e põe em xeque alguns dos pilares da cultura Ocidental.
No exílio na cidade de Éfeso, amedrontada, Maria tenta lembrar os eventos que culminaram na morte brutal de seu filho - os mesmos eventos que se transformaram na narrativa do Novo Testamento e na fundação da religião católica.
No entender do autor, Maria não pediu a Jesus que transformasse água em vinho nas bodas de Caná: ela só foi até a celebração para convencê-lo a voltar para casa. Mais ainda: ela fugiu do local da crucificação antes que seu filho estivesse de fato morto. Seu medo e desejo de proteção falaram mais alto que o sofrimento pelo destino do filho. "A dor", ela diz, "era dele, não minha."
O autor não endossa a crença católica de que Maria era virgem, veículo de uma gravidez de origem mágica. Ele a traz para o cotidiano e tenta compreendê-la como uma figura humana complexa, sujeita às fraquezas terrenas.
Com ousadia e brilhantismo, Tóibín compõe uma narrativa que preserva a dignidade da mãe de Cristo sem conceder à mitologia em torno dela.

"Tóibín escreve com uma intensidade que confere às mínimas nuances de sentimento imenso impacto emocional."- The New Yorker

"Este é um livro curto, mas denso como um diamante. É tão trágico quanto uma Pietá espanhola, mas completamente herético."- Edmund White

Sobre o autor