CLIQUE PARA AMPLIAR

R$ 69,90

/ À vista

Apresentação

Publicado pela primeira vez em 1978, Sim é o relato exasperado e convulsivo de um cientista sem perspectivas e seu encontro com uma mulher tão sombria quanto ele.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Sim

Thomas Bernhard

R$ 69,90

Alfaguara

A travessia (Nova edição)

Cormac McCarthy

R$ 99,90

Penguin-Companhia

Evguiêni Oniéguin

Aleksandr Púchkin

R$ 54,90

Preço total de

R$ 224,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

O continente - vol. 1

Erico Verissimo

R$ 89,90

Companhia das Letras

A cidade ilhada (Nova edição)

Milton Hatoum

R$ 69,90

Fontanar

Em defesa do tempo

Jenny Odell

R$ 99,90

Companhia das Letrinhas

Bela, a fera, e Fernão, o belo

Janaina Tokitaka

R$ 9,90

Zahar

O contrato racial

Charles W. Mills

R$ 79,90

Companhia das Letrinhas

Adonis (Nova edição)

Blandina Franco

R$ 59,90

Seguinte

Um sonho em Tóquio

Emiko Jean

R$ 69,90

Brinque-Book

Lelê é pequenininha

Rafaela Deiab Tieza Tissi

R$ 54,90

Companhia das Letrinhas

O mundo é de todo mundo

Tati Bernardi

R$ 59,90

Seguinte

Perfeita (na teoria)

Sophie Gonzales

R$ 59,90

Companhia das Letras

Triste não é ao certo a palavra

Gabriel Abreu

R$ 69,90

Companhia das Letras

O guarda-roupa modernista

Carolina Casarin

R$ 109,90

Ficha Técnica

Título original: Ja Páginas: 128 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.19 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 07/07/2023
ISBN: 978-85-3593-443-4 Selo: Companhia das Letras Capa: Victor Burton Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Publicado pela primeira vez em 1978, Sim é o relato exasperado e convulsivo de um cientista sem perspectivas e seu encontro com uma mulher tão sombria quanto ele.

O narrador desta novela tinha acabado de chegar à casa de seu amigo Moritz quando passos se fizeram ouvir na porta da frente. Os suíços, anunciou o velho negociador de imóveis. O plural, porém, deveria estar no singular: um suíço, sim, e sua esposa, mas ela talvez armênia, ou persa. O casal havia aparecido de surpresa para jantar e discutir novos negócios na região, sendo o suíço o responsável por conduzir a conversa, enquanto a mulher se mantinha em silêncio. Sua introspecção chama atenção do narrador, um homem também introspectivo que procurara Moritz para desabafar sobre seus pensamentos sombrios, quase suicidas, quando se deparou com alguém que poderia entendê-lo. A solidão a que se propôs quando decidiu dedicar-se a seus estudos científicos no interior, longe das distrações dos amigos, dos amores e das emoções da cidade grande, afundaram o narrador em um processo depressivo que parecia não ter volta -- até o encontro com a persa. Combinados de passear numa floresta de lariços, os dois nutrem diálogos filosóficos e trocam angústias e tormentas que culminam na resposta definitiva que dá título a este livro.
O relato frustrado e frustrante de seu narrador, em um ciclo que tira o fôlego ao mesmo tempo que provoca o riso e o desespero absoluto, é o exemplo perfeito da literatura de Bernhard -- hipnotizante, inquietante, única. Sim é mais uma de suas obras-primas.

Sobre o autor