Home | Livros | Objetiva | O AMOR COMO REVOLUÇÃO
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O AMOR COMO REVOLUÇÃO

Pastor Henrique Vieira

R$ 64,90

/ À vista

Apresentação

Neste relato inspirador, o pastor Henrique Vieira reflete sobre o poder renovador do amor, que se traduz em atitudes generosas com o próximo e que pode ser uma força poderosa na construção de uma sociedade mais justa e livre de preconceitos.

Frequentemente comprados juntos

Objetiva

O amor como revolução

Pastor Henrique Vieira

R$ 64,90

Seguinte

Heroínas negras brasileiras

Jarid Arraes

R$ 49,90

Objetiva

Na minha pele

Lázaro Ramos

R$ 69,90

Preço total de

R$ 184,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Sobre o autoritarismo brasileiro

Lilia Moritz Schwarcz

R$ 79,90

Objetiva

Na minha pele

Lázaro Ramos

R$ 69,90

Companhia das Letras

Quem tem medo do feminismo negro?

Djamila Ribeiro

R$ 49,90

Alfaguara

Redemoinho em dia quente

Jarid Arraes

R$ 59,90

Paralela

Adulta sim, madura nem sempre

Camila Fremder

R$ 59,90

Objetiva

Minha história

Michelle Obama

R$ 89,90

Companhia das Letras

Uma mulher no escuro -- vencedor Jabuti 2020

Raphael Montes

R$ 64,90

Objetiva

Nudge

Richard H. Thaler Cass R. Sunstein

R$ 89,90

Indisponível

Objetiva

No armário do Vaticano

Frédéric Martel

R$ 99,90

Ficha Técnica

Páginas: 168 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.227 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 13/06/2019
ISBN: 978-85-4700-083-7 Selo: Objetiva Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Neste relato inspirador, o pastor Henrique Vieira reflete sobre o poder renovador do amor, que se traduz em atitudes generosas com o próximo e que pode ser uma força poderosa na construção de uma sociedade mais justa e livre de preconceitos.

"O amor não é destino, sorte e não pode ser uma idealização, ele é acima de tudo um caminho que se percorre, uma decisão e uma forma de se viver."



Aos dezesseis anos, Henrique Vieira percebeu que a vida nem sempre segue o planejado. Uma inesperada e significativa perda visual alterou radicalmente sua rotina e expectativas para o futuro. Do encontro com a dor vieram as primeiras reflexões sobre o sentimento de desamparo e de solidão do ser humano. Expectativas ilusórias, frustrações cotidianas, desejos reprimidos, tudo isso pode alimentar o ódio e impedir uma vivência mais plena e feliz. Aceitar que os conflitos fazem parte de quem somos pode, paradoxalmente, nos tornar capazes de ações potentes de amor. Para isso, é necessário um exercício de autoaceitação.

Acreditando no potencial revolucionário dos pequenos gestos e das ações cotidianas, Henrique compartilha suas experiências com o leitor: a prática pastoral desde muito jovem, a arte da palhaçaria, a atuação como vereador na cidade de Niterói, as brincadeiras da infância, as lembranças dos avôs, a escola. Para tal, também recupera histórias dos Evangelhos, utilizando as palavras e a trajetória de Jesus como inspiração e meio de comunicação.

O amor como revolução é um desafio necessário em nossos tempos, é um chamado para transformarmos o amor em atitudes concretas que ultrapassam nossa própria existência.

Sobre o autor