Home | Livros | Alfaguara | O MESTRE E MARGARIDA (NOVA EDIÇÃO)
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

O MESTRE E MARGARIDA (NOVA EDIÇÃO)

Mikhail Bulgákov
Tradução: Zoia Prestes

R$ 79,90

/ À vista

Apresentação

O mestre e Margarida é um romance revolucionário. É uma obra com um estilo absolutamente original, sobre a liberdade da escrita e a força do amor em tempos adversos. É também uma sátira devastadora da vida sob o regime soviético, da censura e da repressão. Um dos livros mais importantes e cultuados do século XX.

Frequentemente comprados juntos

Alfaguara

O mestre e Margarida (Nova edição)

Mikhail Bulgákov

R$ 79,90

Penguin-Companhia

Memórias do subsolo

Fiódor Dostoiévski

R$ 42,90

Companhia das Letras

Anos de chumbo e outros contos

Chico Buarque

R$ 67,90

Preço total de

R$ 190,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Penguin-Companhia

Memórias do subsolo

Fiódor Dostoiévski

R$ 42,90

Indisponível

Alfaguara

Voláteis (Nova edição)

Paulo Scott

R$ 59,90

Companhia das Letras

Princípio de Karenina

Afonso Cruz

R$ 62,90

Companhia das Letras

Viagem a Portugal (Nova edição)

José Saramago

R$ 87,90

Indisponível

Companhia das Letras

Anos de chumbo e outros contos

Chico Buarque

R$ 67,90

Clássicos Zahar

David Copperfield: edição comentada e ilustrada

Charles Dickens

R$ 126,32

Alfaguara

Vida e destino

Vassili Grossman

R$ 114,90

Companhia das Letras

Crônica da casa assassinada

Lúcio Cardoso

R$ 94,90

Ficha Técnica

Título original: Мастер и Маргарита Páginas: 456 Formato: 15.00 X 23.40 cm Peso: 0.659 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 28/10/2021
ISBN: 978-85-5652-129-3 Selo: Alfaguara Capa: Filipa Damião Pinto e Ilustração:

SOBRE O LIVRO

O mestre e Margarida é um romance revolucionário. É uma obra com um estilo absolutamente original, sobre a liberdade da escrita e a força do amor em tempos adversos. É também uma sátira devastadora da vida sob o regime soviético, da censura e da repressão. Um dos livros mais importantes e cultuados do século XX.

Em uma tarde de primavera, Satanás e seu séquito diabólico decidem visitar Moscou. Encontram poetas, editores, burocratas e todo tipo de pessoas tentando levar a vida em pleno regime comunista. Depois dessa visita, nada será como antes; o rastro de destruição e loucura mudará o destino de quem cruzar seu caminho.

Da mesma forma, a publicação de O mestre e Margarida pela revista soviética Moskva, entre novembro de 1966 e janeiro de 1967, mudou para sempre os rumos da literatura russa. Mikhail Bulgakov havia morrido 26 anos antes. Era conhecido por suas peças teatrais de sucesso -- polêmicas por sua visão crítica do regime --, além de contos, novelas e um romance. Quase ninguém suspeitava que, entre seu material inédito, estava sua obra máxima.

Bulgakov levou cerca de dez anos para terminá-la, sabendo dos problemas que teria com a censura -- chegou, inclusive, a queimar uma versão inicial. Apenas seu círculo mais íntimo de conhecidos sabia da existência do romance e, também, da impossibilidade de lançá-lo durante o regime stalinista. Apesar disso, o livro sobreviveu por mais de duas décadas e tornou-se um fenômeno. Acabou, assim, por confirmar uma frase dita na história pelo próprio diabo, e que na Rússia se tornou proverbial: "Manuscritos não ardem".

"Bulgakov é um dos maiores escritores russos modernos, talvez o maior." -- The Independent

"Uma obra-prima, um clássico da ficção no século XX." -- The New York Times

 

Sobre o autor