Home | Livros | Alfaguara | MORTE E VIDA SEVERINA
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

MORTE E VIDA SEVERINA

João Cabral de Melo Neto

R$ 69,90

/ À vista

Apresentação

Os quatro poemas reunidos nesta coletânea apresentam a essência da obra de um dos maiores poetas da nossa língua.

Frequentemente comprados juntos

Alfaguara

Morte e vida Severina

João Cabral de Melo Neto

R$ 69,90

Companhia das Letras

Grande sertão: veredas

João Guimarães Rosa

R$ 94,41

Companhia das Letras

Olhai os lírios do campo

Erico Verissimo

R$ 69,90

Preço total de

R$ 234,21

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Casa de alvenaria - Volume 2: Santana

Carolina Maria de Jesus

R$ 62,91

Penguin-Companhia

Memórias póstumas de Brás Cubas

Machado de Assis

R$ 49,90

Companhia das Letrinhas

O Homem-Cão: O senhor das pulgas

Dav Pilkey

R$ 59,90

Zahar

Drogas para adultos

Carl Hart

R$ 89,90

Suma

Billy Summers

Stephen King

R$ 99,90

Companhia das Letras

O tempo e o vento -- Parte III -- O arquipélago -- vols. I a III

Erico Verissimo

R$ 99,90

Portfolio-Penguin

O estado empreendedor

Mariana Mazzucato

R$ 89,90

Suma

À espera de um milagre

Stephen King

R$ 99,90

Alfaguara

Morte e vida Severina

João Cabral de Melo Neto

R$ 79,90

Ficha Técnica

Páginas: 176 Formato: 15.00 X 23.40 cm Peso: 0.279 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 23/11/2007
ISBN: 978-85-6028-132-9 Selo: Alfaguara Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Os quatro poemas reunidos nesta coletânea apresentam a essência da obra de um dos maiores poetas da nossa língua.

Os poemas escolhidos para integrar esta coletânea desnudam os elementos fundamentais da obra de João Cabral de Melo Neto.

Morte e Vida Severina (1954-55), poema que dá nome ao livro, é a obra mais popular de João Cabral e aborda o tema da seca nordestina, dando voz aos retirantes que fazem o duro percurso entre o rio Capibaribe e Recife.
O poema O rio também retrata o universo árido às margens do rio Capibaribe, mas dá voz a ele próprio como condutor da narrativa. Engenhos de cana-de-açúcar, usinas, retirantes e trabalhadores são retratados na velocidade do correr das águas.
Em Paisagens com figuras (1955), João Cabral sintetiza em palavras uma de suas principais características, que é o hibridismo de linguagens. Mesclando descrições de imagens de Pernambuco, com paisagens da Espanha, o poeta desfila toda sua expressividade onírica.
Por fim, Uma faca sem lâmina (1955), trata do desafio da composição poética, que ele ilustra numa faca sem bainha, que corta o poeta por dentro.

* Leitura obrigatória do vestibular da UNICENTRO.

Sobre o autor